DESCOMPLICANDO O VEGANISMO
RECEITAS VEGANAS
Transição para o veganismo


15 janeiro, 2018

Esse post é para você que, assim como eu, se vê – no meu caso, se via – em uma faculdade onde não se identifica com as pessoas, as matérias e o mercado de trabalho. Você está indo para aquele ambiente acadêmico de segunda à sexta-feira – às vezes, aos sábados – com uma sensação de peso nos ombros, com a certeza de que seguir aquela carreira te fará uma pessoa infeliz. O que fazer, então? Desistir da faculdade ou não?

DESISTIR DA FACULDADE OU NÃO

Eu acredito que uns dos maiores erros começam com a pressão que um adolescente de dezessete anos tem para escolher uma profissão para o resto da vida. Ninguém está com as opiniões e ideais formados nesta idade. Você ainda está se descobrindo. É muito injusto ter a obrigação de saber com total certeza qual curso é o certo para você.

 

Mas mesmo que você não tenha feito essa escolha aos dezessete anos, como eu, é comum mudar de ideia no meio do caminho. Nós somos seres em constante evolução, então, o que parecia certo há dois anos, hoje, já não soa como o melhor caminho.

 

E está tudo bem

 

Essa é a primeira parte: entender que não há nada de errado em querer desistir da faculdade. É mais comum do que se imagina. Na minha sala no curso de jornalismo, por exemplo, um dos meus colegas estava na quarta faculdade. Pois é. E está tudo bem.

 

Um diploma não define quem você é. Ele te ajuda em muitas coisas, é verdade, mas adiá-lo por alguns anos não vai tornar a sua vida um fracasso, como alguns te fazem acreditar.

 

Aceite esse sentimento. Aceite que você mudou. Aceite suas novas ideias e vontades. Aceite a pessoa que você está se tornando. E aceite a sua intuição.

 

Por um tempo, eu me culpei por querer desistir da faculdade. Como assim jornalismo não é mais o sonho? Por que eu não me encaixo nesse lugar? O que aconteceu com aquela Luana? Eu te respondo: aquela Luana mudou, aquela Luana idealizava uma profissão que, na realidade, não tinha nada a ver com o que eu sonhava.

 

A partir do momento que você entende que está tudo bem, a vida parece mais leve. Ignore por um tempo as opiniões alheias, a pressão da sociedade e do próprio meio acadêmico. Olhe para dentro de si e vamos para o próximo passo.

 

Entenda os seus motivos para desistir da faculdade

 

Aqui temos um ponto importante. A faculdade pode ser bem opressiva. São cinco textos de cinquenta páginas cada por semana, uma única prova para demonstrar todo seu conhecimento em um semestre, professores egocêntricos, disputas para ver quem tem as melhores referências, trabalhos em grupo desgastantes, seminários apavorantes e outras situações que só um graduando vai entender.

 

Quantas vezes eu me vi de cabelo em pé por causa da faculdade? Passei noites em claro, chorei, fiquei ansiosa, briguei com as minhas amigas e a minha namorada, me senti inútil, incapaz, não pertencente, entre tantos outros sentimentos ruins.

 

E, aí, entra a questão: será que você não quer desistir da faculdade por todos esses problemas? Pela pressão por uma nota na média, prazos loucos e a disputa constante de ego? Será que não é a faculdade em si o seu problema, não o curso?

 

Se você resolver desistir da faculdade agora, na próxima você encontrará os mesmos problemas burocráticos e falhas no modo de ensino das instituições por aqui. É assim que funciona por enquanto. Um grande professor meu, lá no primeiro ano da faculdade, que me deixou um pouco louca com teoria da comunicação, confesso, disse o seguinte: não deixe que a faculdade atrapalhe os seus estudos.

 

Descubra se esse não é o seu problema. Pare um pouco e pense se você ainda se vê naquela carreira, se você gosta das matérias e se ainda há identificação. Quando a resposta for sim, a solução é encontrar maneiras criativas de lidar com a opressão da faculdade.

 

Participe de um grupo que te dará oportunidades de levantar discussões, como o centro acadêmico ou coletivos feministas, faça um amuleto, comece terapia, desabafe com sua melhor amiga, o que deixar a sua mente mais leve está valendo.

 

Lembre, sempre, sempre, sempre – sempre mesmo – que uma nota qualquer no seu boletim não diz o quanto você é capaz. É só uma nota. É só uma prova. Nenhum sistema de avaliação define o seu valor. Ponto final.

 

DESISTIR DA FACULDADE OU NÃO

Esse post é para você que, assim como eu, se vê – no meu caso, se via – em uma faculdade onde não se identifica com as pessoas, as matérias e o mercado de trabalho. Você está indo para aquele ambiente acadêmico de segunda à sexta-feira – às vezes, aos sábados – com uma sensação de […]

Leia mais



TAGS:






10 janeiro, 2018

Depois dos vídeos que te fazem pensar, cá estou eu para compartilhar quatro palestras motivacionais. Ok, talvez, não exatamente palestras, mas vídeos, conversas, apresentações, enfim, formas de disseminar palavras positivas.

 

Como comentei algumas vezes, eu sou a pessoa da auto ajuda. Amo livros ou vídeos sobre produtividade, crescimento pessoal, espiritualidade, entre outros assuntos que nos ajudam ser a melhor versão de nós mesmos. Não acho clichê ou bobagem. Em mundo tão caótico, é imprescindível encontrar formas de se manter motivado e ainda acreditar no outro ou em si. Encontrar seu propósito é necessário ❤

 

Eu espero que essas quatro palestras motivacionais te ajudem a mudar hábitos, abrir a mente e o coração. Espero que encontre nelas as palavras de conforto que deseja ouvir ou o empurrão que precisa para seguir ainda mais em frente.

 

Palestras motivacionais para se inspirar 💫

Gary Yourofsky — A melhor palestra que você irá ouvir na vida

PALESTRAS MOTIVACIONAIS VEGANISMO

Essa é uma das palestras que me incentivou a me tornar vegana de vez. Com muito carisma, Gary mostra em uma hora, a partir de dados, informações concretas e muita reflexão, como fazer escolhas mais éticas e porque isso é importante. Te juro que essa uma hora passará rapidinho e que a cada cinco minutos você se verá questionando hábitos e fazendo aquela expressão de puts, isso aí é realmente verdade.

 

“Não é seu direito — baseado em SUAS tradições, SEU costumes e SEUS hábitos negar aos animais à sua liberdade para que você possa prejudicá-los, escravizá-los e matá-los. Não é sobre o que são os direitos. Isso é injustiça. Não há contra-argumento para o veganismo”

 

Fran Guarnieri  O segredo: como eu realizo minhas metas

PALESTRAS MOTIVACIONAIS - FRAN GUARNIERI

Eu costumo dizer que a Fran é minha guru pessoal, principalmente, quando falamos sobre produtividade e organização. Acho incrível como ela, com a idade que tem, consegue desenvolver projetos incríveis e alcançar sucesso em cada um deles. É inspirador.

 

Por isso, não poderia de deixar de incluí-la por aqui. A Fran tem dicas poderosas por trás das palavras doces. Esse vídeo é um incentivo para concretizar seus objetivos, seja eles quais forem. Com exemplos práticos, a Fran nos mostra como é importante montar uma estratégia para a vida.

 

“Quando você sabe o que você quer e começa a desejar isso, não tem nada que vai te impedir. Muitas pessoas duvidam do seu potencial (…) só que se você quer um resultado diferente, precisa se permitir a agir de formas diferentes”

 

Mel Robbins  Como parar de se ferrar

PALESTRAS MOTIVACIONAIS - TED

Faz um tempo que vi essa palestra, enviada pela minha querida professora de inglês (obrigada, Thays!), e uma parte dela segue martelando em minha mente toda vez que penso em procrastinar. É a regra dos 5 segundos.

 

“Eu acho que quando você se sente preso ou insatisfeito com a vida, isso é um sinal. Não é um sinal de que sua vida deu errado. É um sinal de que uma das suas necessidades básicas não foi atendida. A necessidade de exploração (…) Sua alma precisa de exploração e crescimento”

 

5 segundos é o que você precisa para sair da sua zona de conforto. Se você não toma uma atitude em cinco segundos, você puxa o freio de emergência e mata sua sua ideia, sua energia, sua vontade. A Mel te explica mais sobre isso em 15 minutos. E, então, em cinco segundos você vai dar o play e se permitir ou fechar a aba?

 

Juliana Goes  Curando suas feridas

PALESTRAS MOTIVACIONAIS - JULIANA GOES

Eu falando sobre como amo a Juliana Goes, que novidade. Não é minha culpa se essa mulher é tão iluminada, tão inspiradora. Todo Domingo Zen é um aprendizado e esse é um dos meus vídeos favoritos da vida!

 

A Ju mostra como todos nós temos feridas, algumas cultivadas pela atenção que damos às palavras alheias, outras por nós mesmos. O importante, porém, é aprender a trabalhar para curá-las e quebrar os padrões negativos que nos impedem de seguir em frente.

 

“Por mais que machuque agora, pensa no resto da sua vida. É possível mudar, mas com um passo dado por você mesma. É você quem vai tratar de você (…) Tudo começa com aquilo o que você vibra, o que você pensa. Você vai criar uma verdade para você”

 

E, então, vocês já assistiram a alguma dessas palestras motivacionais? Conhecem outros vídeos bacanas de serem compartilhados? Também amam a Fran e a Ju? 😊

 

❤ Outros posts que você pode gostar ❤

 

➳ 7 vezes que o feminismo me ajudou

5 perguntas para fazer compras conscientes

Não seja um one upper

Como fazer a diferença e não ser um babaca

Ei, se liga, você é um babaca com boas referências

Lembretes para 2018

Pare de perceber o erro

Consumo consciente de acessórios + SORTEIO

 

Vem passear na categoria Experiências ❤

Vamos evoluir juntos: 

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube

Depois dos vídeos que te fazem pensar, cá estou eu para compartilhar quatro palestras motivacionais. Ok, talvez, não exatamente palestras, mas vídeos, conversas, apresentações, enfim, formas de disseminar palavras positivas.   Como comentei algumas vezes, eu sou a pessoa da auto ajuda. Amo livros ou vídeos sobre produtividade, crescimento pessoal, espiritualidade, entre outros assuntos que […]

Leia mais



TAGS:






3 janeiro, 2018

Quem acompanha desde o início essa saga de posts todos os dias em dezembro, viu no 31 coisas para fazer em 31 dias, que um dos meus desejos neste mês era doar sangue pela primeira vez. Essa, no entanto, é uma vontade antiga, mas algo sempre me impedia. Primeiro, a idade. Depois, o peso. Nos últimos anos, as tatuagens. Então, em 2017,, antes de enfrentar as agulhas para o quinto desenho na pele, decidi ir até um posto de coleta e, enfim, doar sangue pela primeira vez. 

DOAR SANGUE PELA PRIMEIRA VEZ COLSAN

Como é doar sangue pela primeira vez?

1º A escolha do posto de coleta

 

Muito cuidado com o Google nessa hora, pois muitos dos lugares estão desatualizados. Eu fui em dois na região da Vila Mariana e Santa Cruz (Hospital Albert Einstein e Hospital Santa Cruz) e ambos não faziam mais ou nunca fizeram a coleta. Para se sentir mais segura, pesquise opiniões, veja se conhecer o hospital, procure imagens, o que precisar.

 

Eu fui no Colsan, Associação Beneficente de Coleta de Sangue, do Tatuapé. Eles tem outras unidades espalhadas por São Paulo, as quais você consegue ver no site. Para mais postos de coleta pela cidade, clique aqui.

 

2º Cuidados antes de doar

 

Muita gente acha que você precisa ir doar sangue em jejum, mas, pelo contrário, é importante ter se alimentado antes, evitando apenas alimentos gordurosos 3 horas antes. Além disso, existem outros cuidados como não ter ingerido álcool nas 12 horas anteriores ou algumas medicações específicas, ter dormido bem e estar, no geral em boas condições de saúde. Pesquise bem sobre os critérios de inclusão e exclusão.

 

3º Na recepção, pré-triagem e triagem clínica

DOAR SANGUE PELA PRIMEIRA VEZ ENTRVISTA

Vou contar aqui como foi no Colsan, mas os processos podem ser diferentes em outros lugares. Primeiro, passei minhas informações pessoais para a recepcionista, que me encaminhou para a pré-triagem. Lá, me pesaram, conferiram meu pulso, pressão, febre, altura e fizeram um teste de anemia com uma picadinha no dedo que “doeu” mais do que a própria doação de sangue.

 

Depois, fui encaminhada para a entrevista que dura cerca de 5 minutos. São várias perguntas, dentre elas: dormiu bem? Toma alguma medicação? Tem diabetes? Fez alguma extração dentária? Tem filhos? Tem piercing ou tatuagens? E por aí vai. Estando de acordo com todos os critérios, você vai para a sala de coleta.

 

Quem acompanha desde o início essa saga de posts todos os dias em dezembro, viu no 31 coisas para fazer em 31 dias, que um dos meus desejos neste mês era doar sangue pela primeira vez. Essa, no entanto, é uma vontade antiga, mas algo sempre me impedia. Primeiro, a idade. Depois, o peso. Nos […]

Leia mais



TAGS:








NÃO PERCA AS NOVIDADES, CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER!