• Pinceis favoritos para pele da Macrilan – Corretivo, base, blush SLIDE
  • simple-responsive-slide-disney


7 julho, 2016

Dei o play no Netflix e encontrei o clássico começo dos documentários sobre o assunto: doenças, remédios, obesidade, gordura, fast food. O que comemos está nos matando. Essa, talvez, é a primeira geração de crianças que viverá menos que os seus pais. Um conjunto de discursos e programas de televisão lembrando como a situação é alarmante. Qual é então a solução? Diminuir alimentos de origem animal, processados e aumentar os integrais e vegetais? Simples assim?

FORKS OVER KNIFES - RESENHA

É isso o que Forks Over Knifes, ou Troque a Faca Pelo Garfo, tenta responder, a partir da visão de especialistas, como o Dr. T. Colin e Dr. Caldwell Esselstyn. No fim, a conclusão é quase óbvia: sim, é simples assim. Uma alimentação vegana não só previne, como é capaz reverter muitas doenças. Os pacientes ao longo do documentário mostram como isso é possível. Chegou, então, a hora de abrir a sua geladeira e pensar: isso está me dando vida ou me aproximando do fim?

 

Esse é mais um dos documentários para a listinha de: balde de água fria que te faz questionar toda a sua alimentação. Até mesmo para mim que já sou vegetariana. Ao mesmo tempo que ele reforça minhas convicções, fica impossível não repensar alguns dos meus hábitos e querer cortar de vez os alimentos de origem animal. 

 

Ao invés de fazer uma resenha por aqui, decidi separar as principais ideias do Forks Over Knifes e agrupar nesse post. É claro, no documentário tudo é bem explicadinho, com dados, a fala dos profissionais e argumentos. Mas dá para pegar a mensagem com esses tópicos:

 

➳ Consumir alimentos de origem animal aumenta o colesterol e doenças cardiovasculares

 

Usando o histórico de pesquisa dos médicos que o documentário acompanha, estudos de laboratório e casos reais, Forks Over Knifes mostra como os alimentos de origem animal contribuíram para aumentar consideravelmente o número de doenças fatais.

FORKS OVER KNIFES - CÂNCER E CARNE

Para não deixar muito abstrato, um dos exemplos citados pelo Dr Esselstyn é caso da Noruega. Quando os alemães chegaram na país, em 1940, confiscaram todos os animais para abate ou produção de derivados com a intenção de usá-los para alimentar somente as tropas. Consequentemente, a população passou a ter uma dieta essencialmente baseada em verduras, legumes e frutas. O que aconteceu? O nível de doenças cardiovasculares caiu drasticamente. Mas com o fim do regime nazista e a volta dos produtos de origem animal, lá veio o derrame e os ataques do coração outra vez.

 

➳ Proteína animal é muita boa em causar câncer

 

Mais estudos e casos reais de como nações que se alimentam prioritariamente de proteína animal tem maior incidência de câncer. Em 1958, os casos de morte por câncer de próstata no Japão foram 18. No mesmo ano, a população dos EUA era quase o dobro do Japão e as mortes pelo mesmo motivo excederam 14 mil. A diferença entre eles? A dieta (antes do ataque ocidental).

 

Além disso, ao observar como muitas das crianças filipinas que consumiam uma grande quantidade de proteína animal tinham câncer de fígado, o Dr. Campbell passou a realizar uma série de estudos que mudariam a sua visão, reafirmando a relação entre nutrição e doenças, carne e câncer.

 

➳ Comidas processadas são uma armadilha do prazer

 

Você tira a água, as fibras, os minerais, a nutrição e concentra gordura, açúcar e sal. Pronto, você tem um novo vício, barato e disponível no mercado, com reações de prazer e euforia semelhantes às drogas. Te apresento a batata frita. Mas, pensando bem, se comida processada vicia e tem tantos efeitos colaterais ruins, ela também não é uma droga?

 

➳ Se você é um atleta, você pode ser vegano. Fim.

 

➳ Esqueça o mito de que leite previne a osteoporose

 

Se fosse assim, como os países que mais consomem laticínios teriam as maiores taxas de osteoporose? Já parou para pensar que o ser humano é o único animal que continua tomando leite depois de adulto? Que o leite do bezerro foi feito… para o bezerro, não para nós? Que até alguns séculos nosso organismo não digeria o leite? Ué. 

 

➳ Não é pela saúde das crianças o que elas recebem nas cantinas e merenda, é pela saúde financeira das grandes entidades de agronegócio

 

Mas pensando na realidade brasileira, até que estamos evoluindo, com, por exemplo, a inclusão de orgânicos e da agricultura familiar nas redes de ensino municipal de São Paulo e as várias cidades retirando o refrigerante do ambiente escolar.  

 

➳ Ir contra o status quo não é fácil

 

➳ Um quarto do que você come te mantém vivo, os outros três mantêm o seu médico  

 

Porque, amiga, você, definitivamente, não precisa de todo esse remédio.

 

➳ Aos 70, você pode começar a colecionar medalhas em corridas ao invés de passar as tardes em frente à TV ou no hospital

 

➳ Só o gado mundial come grãos o bastante para alimentar 8,7 milhões de pessoas

 

É um fato: o atual padrão alimentar é insustentável. Não é bom para o meio ambiente, não é bom para as pessoas. Comer carne é um luxo que está mantendo a fome em muitos lugares. 

Forks Over Knifes - Comer para viver ou viver para comer?

➳ Semanas se alimentando bem podem mudar a sua situação atual, se alimentando bem diariamente você muda sua vida
E, talvez, a principal lição esteja na citação de Hipócrates, no começo do documentário: que seu remédio seja seu alimento e que seu alimento seja o seu remédio.  

 

Já assistiram ao documentário? O que acharam? Me contem nos comentários!

 

❤️ Quer mais sobre filmes ou livros? Vem passear na categoria Na Estante ❤️

💛 Quer mais sobre esse estilo de vida? Vem passear na tag Veganismo 💛

E vamos ser naturebas na redes sociais:

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube


Dei o play no Netflix e encontrei o clássico começo dos documentários sobre o assunto: doenças, remédios, obesidade, gordura, fast food. O que comemos está nos matando. Essa, talvez, é a primeira geração de crianças que viverá menos que os seus pais. Um conjunto de discursos e programas de televisão lembrando como a situação é alarmante. Qual é então a solução? Diminuir alimentos de origem animal, processados e aumentar os integrais e vegetais? Simples assim?

FORKS OVER KNIFES - RESENHA

É isso o que Forks Over Knifes, ou Troque a Faca Pelo Garfo, tenta responder, a partir da visão de especialistas, como o Dr. T. Colin e Dr. Caldwell Esselstyn. No fim, a conclusão é quase óbvia: sim, é simples assim. Uma alimentação vegana não só previne, como é capaz reverter muitas doenças. Os pacientes ao longo do documentário mostram como isso é possível. Chegou, então, a hora de abrir a sua geladeira e pensar: isso está me dando vida ou me aproximando do fim?

 

Esse é mais um dos documentários para a listinha de: balde de água fria que te faz questionar toda a sua alimentação. Até mesmo para mim que já sou vegetariana. Ao mesmo tempo que ele reforça minhas convicções, fica impossível não repensar alguns dos meus hábitos e querer cortar de vez os alimentos de origem animal. 

 

Ao invés de fazer uma resenha por aqui, decidi separar as principais ideias do Forks Over Knifes e agrupar nesse post. É claro, no documentário tudo é bem explicadinho, com dados, a fala dos profissionais e argumentos. Mas dá para pegar a mensagem com esses tópicos:

 

➳ Consumir alimentos de origem animal aumenta o colesterol e doenças cardiovasculares

 

Usando o histórico de pesquisa dos médicos que o documentário acompanha, estudos de laboratório e casos reais, Forks Over Knifes mostra como os alimentos de origem animal contribuíram para aumentar consideravelmente o número de doenças fatais.

FORKS OVER KNIFES - CÂNCER E CARNE

Para não deixar muito abstrato, um dos exemplos citados pelo Dr Esselstyn é caso da Noruega. Quando os alemães chegaram na país, em 1940, confiscaram todos os animais para abate ou produção de derivados com a intenção de usá-los para alimentar somente as tropas. Consequentemente, a população passou a ter uma dieta essencialmente baseada em verduras, legumes e frutas. O que aconteceu? O nível de doenças cardiovasculares caiu drasticamente. Mas com o fim do regime nazista e a volta dos produtos de origem animal, lá veio o derrame e os ataques do coração outra vez.

 

➳ Proteína animal é muita boa em causar câncer

 

Mais estudos e casos reais de como nações que se alimentam prioritariamente de proteína animal tem maior incidência de câncer. Em 1958, os casos de morte por câncer de próstata no Japão foram 18. No mesmo ano, a população dos EUA era quase o dobro do Japão e as mortes pelo mesmo motivo excederam 14 mil. A diferença entre eles? A dieta (antes do ataque ocidental).

 

Além disso, ao observar como muitas das crianças filipinas que consumiam uma grande quantidade de proteína animal tinham câncer de fígado, o Dr. Campbell passou a realizar uma série de estudos que mudariam a sua visão, reafirmando a relação entre nutrição e doenças, carne e câncer.

 

➳ Comidas processadas são uma armadilha do prazer

 

Você tira a água, as fibras, os minerais, a nutrição e concentra gordura, açúcar e sal. Pronto, você tem um novo vício, barato e disponível no mercado, com reações de prazer e euforia semelhantes às drogas. Te apresento a batata frita. Mas, pensando bem, se comida processada vicia e tem tantos efeitos colaterais ruins, ela também não é uma droga?

 

➳ Se você é um atleta, você pode ser vegano. Fim.

 

➳ Esqueça o mito de que leite previne a osteoporose

 

Se fosse assim, como os países que mais consomem laticínios teriam as maiores taxas de osteoporose? Já parou para pensar que o ser humano é o único animal que continua tomando leite depois de adulto? Que o leite do bezerro foi feito… para o bezerro, não para nós? Que até alguns séculos nosso organismo não digeria o leite? Ué. 

 

➳ Não é pela saúde das crianças o que elas recebem nas cantinas e merenda, é pela saúde financeira das grandes entidades de agronegócio

 

Mas pensando na realidade brasileira, até que estamos evoluindo, com, por exemplo, a inclusão de orgânicos e da agricultura familiar nas redes de ensino municipal de São Paulo e as várias cidades retirando o refrigerante do ambiente escolar.  

 

➳ Ir contra o status quo não é fácil

 

➳ Um quarto do que você come te mantém vivo, os outros três mantêm o seu médico  

 

Porque, amiga, você, definitivamente, não precisa de todo esse remédio.

 

➳ Aos 70, você pode começar a colecionar medalhas em corridas ao invés de passar as tardes em frente à TV ou no hospital

 

➳ Só o gado mundial come grãos o bastante para alimentar 8,7 milhões de pessoas

 

É um fato: o atual padrão alimentar é insustentável. Não é bom para o meio ambiente, não é bom para as pessoas. Comer carne é um luxo que está mantendo a fome em muitos lugares. 

Forks Over Knifes - Comer para viver ou viver para comer?

➳ Semanas se alimentando bem podem mudar a sua situação atual, se alimentando bem diariamente você muda sua vida
E, talvez, a principal lição esteja na citação de Hipócrates, no começo do documentário: que seu remédio seja seu alimento e que seu alimento seja o seu remédio.  

 

Já assistiram ao documentário? O que acharam? Me contem nos comentários!

 

❤️ Quer mais sobre filmes ou livros? Vem passear na categoria Na Estante ❤️

💛 Quer mais sobre esse estilo de vida? Vem passear na tag Veganismo 💛

E vamos ser naturebas na redes sociais:

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube


TAGS:




3 Comentários em “O que aprendemos em Forks Over Knifes (Troque a Faca Pelo Garfo)”


Quero ser vegetarianx: dicas para começar e não desistir

[…] ➳ Forks Over Knifes (tem post sobre ele aqui!) […]

Testei: linha Tea Tree da The Body Shop l Entre Anas

[…] ➳ O que aprendemos em Forks Over Knifes (Troque a Faca pelo Garfo) […]

Substituições veganas: alimentos vegetais fontes de cálcio! l Entre Anas

[…] no público feminino da sala. Mas, professora, querida, você sabia que os países que mais consomem leite e derivados são os que mais têm casos de fratura óssea e […]


Deixe seu comentário:



Veja o que acontece por aí