• Pinceis favoritos para pele da Macrilan – Corretivo, base, blush SLIDE
  • simple-responsive-slide-disney


5 maio, 2017

Atire a primeira pedra quem nunca definiu organização como uma meta, seja para a semana, para o próximo ano ou para a vida. Eu mesma tento me organizar com listas, agendas, aplicativos, dicas de blogs, livros e, devo admitir, infelizmente, que falhei muitas (e muitas) vezes. Mas se tem uma coisa que eu aprendi escutando a Fran Guarnieri é que organização requer insistência, afinal, precisa virar um hábito para ser realmente eficaz e não somente mais uma tentativa frustrada.

 

Não existem regras. Existem técnicas de organização e dicas que podem te ajudar a encontrar sua própria forma de se organizar. Porque não é que você simplesmente não é uma pessoa organizada, que você não nasceu para ser Marie Kondo, você só não achou a maneira ideal de colocar tudo em ordem. Até porque cada pessoa tem uma rotina, prioridades e objetivos. Não existe fórmula mágica.

 

Inspirada pela minha vontade de (re)organizar a vida, decidi fazer esse post com 10 técnicas de organização, em quatro categorias, para que a gente se inspire, adapte e coloque em prática. Ainda não estou no nível Fran Guarnieri, mas posso tentar!  

técnicas de organização - planner, GTD, evernote, bullet journal

PARA O DIA A DIA…

 

❤ PLANNER

 

Tem planner de todo tipo, para todos os gostos. Com mil categorias, para blogueiras (já viu esse lindo do blog DeClara?), divididos por mês, dia, semana, para controlar sua saúde mental ou quantos copos de água tomou por dia, com diário astral, mapa lunar, adesivos, enfim.

 

Normalmente, planners significam um investimento alto, já que não são baratinhos como uma agenda na papelaria da esquina. Mas com um em mãos você consegue organizar diversos setores da sua vida em um único lugar. Me  problema é que eles são grandes demais para andar na bolsa para lá e para cá ☹

 

Leia mais: Meu planner 2017 l Como usar um planner?

 

❤ EVERNOTE

 

O mais legal dessa plataforma é que você consegue moldá-la da maneira que achar melhor. Além de ser instalado no computador, o Evernote tem sua versão em aplicativo — o que resolve meu problema com o planner, pena que eu também tenho problemas com a relação entre tecnologia e organização, me mantendo fiel ao time da papelaria, quem mais está comigo?

 

Você precisa ter paciência para aprender a mexer nos cadernos, notas, etiquetas e possibilidades que a plataforma oferece, mas se você acha mais prático usar aplicativos e não lidar com papel, o Evernote é um bom lugar para gerenciar várias áreas da sua vida.

 

Leia maisComo eu uso o Evernote? l Organize toda sua vida com o Evernote

 

❤ BULLET JOURNAL

 

Queria tanto saber fazer desenhos fofos e linhas retas para montar um bullet journal lindinho. Desde o vídeo do designer Ryder Carrol, o pinterest (e o mundo) vem caindo nas graças desse diário.

 

Ao invés de uma tela como no Evernote, nessa técnica de organização você tem páginas em branco prontas para serem exploradas pela sua criatividade, categorias básicas, ícones (como a flechinha de adiado e asteriscos para prioridades) e vontade de sistematizar presente, passado e futuro.

 

Leia mais: Como adotar o método do Bullet? l Tudo o que você precisa saber sobre o Bullet Journal

 

❤ GTD – GETTING THINGS DONE 

 

Essa é uma das técnicas de organização que me interessam muito. Já tentei outras vezes me aprofundar e acabei deixando de lado. Quem sabe dessa vez.

 

A metodologia se baseia em cinco passos: capturar, esclarecer, organizar, refletir e engajar. Diferente do que listei acima, o GTD te dá, na verdade, o caminho para usar a plataforma. Ele é a base. Ainda muito abstrato? Dá uma olhada nesse fluxograma. O GTD, porém, é bem mais complexo e vale a pena uma pesquisa rápida — que pode te levar a um buraco na internet e o rápida se transformará em horas e horas lendo.

 

Leia mais: GTD – a melhor metodologia de produtividade que existe

técnicas de organização - konmari, flylady

PARA SUA CASA…

 

❤ KONMARI

 

Desapega. Essa uma das ideias principais do método KonMari. Não tem uma função? Descarte. Te traz alegria? Guarde. Isso para criar ambientes úteis e agradáveis, sem excessos e com propósito.

 

Pense nas suas canetas. Quantas você consegue recolher pela casa? Eu aposto que muitas, sendo que sempre que você precisa de uma se vê perdida abrindo gavetas, acertei? Então, por que não organizar as coisas por categorias, nos pergunta Marie? Coloque todas as canetas no mesmo potinho, em um único cômodo e você perceberá que muitas não pegam e não precisará de tantas já que sempre saberá onde encontrá-las.

 

Apesar de ser considerado radical, o método tem ensinamentos bem importantes sobre o porquê somos tão acumuladores sem ao menos perceber.

 

Leia mais: Vamos falar sobre o método KonMari l  Análise: A Mágica da Arrumação

 

CONTINUE LENDO ♥


TAGS:
técnicas de organização - planner, GTD, evernote, bullet journal

Atire a primeira pedra quem nunca definiu organização como uma meta, seja para a semana, para o próximo ano ou para a vida. Eu mesma tento me organizar com listas, agendas, aplicativos, dicas de blogs, livros e, devo admitir, infelizmente, que falhei muitas (e muitas) vezes. Mas se tem uma coisa que eu aprendi escutando […]

Leia mais







9 abril, 2017

Como já falei por aqui, a Páscoa não é exatamente o meu feriado favorito (oi, natal, sinto sua falta!), mas eu entendo toda a animação que se cria em torno desse dia. Não, eu não sou religiosa. Não, eu não tenho crianças na família. Não, eu não como mais chocolate ao leite. Mas, sim, eu comemoro, à minha maneira, a Páscoa.

Por que não gostar da páscoa? Lado ruim, escravidão, crueldade, vegan

Pena que esse post não fala sobre comemorações. Calma, nós vamos ter a parte dois, mais positiva, com coelhinhos pulantes. Só que hoje eu quero conversar com vocês um pouco a respeito do porquê da páscoa não ser tão feliz assim. 

 

Açúcar everywhere e sua saúde de lado

 

Ai, lá vem a pseudo-nutricionista querer controlar tudo o que os outros comem. Não é bem por aí. Acontece que na páscoa a gente esquece que açúcar e gordura demais (não ache que seu ovo é cacau puro, ok?) tem consequências demais. Não estamos falando sobre peso, ninguém é fiscal da balança alheia. Eu estou falando sobre coisas como dor de cabeça, cansaço, mal estar, sintomas de hipoglicemia. E, é claro, o açúcar tem consequências ainda piores a longo prazo.

 

Eu acho péssimo não ter controle, principalmente, sobre o que as crianças comem apenas porque é feriado. É ótimo saborear um chocolate, mas é além do limite comer um ovo em um dia ou, então, vários em uma semana. Vamos pensar um pouquinho no nosso corpo. Será que ele vai lidar bem com essa chuva de ovo de páscoa? Bom, tenho certeza que não.

 

Sabor amargo da escravidão  

 

Vidas. Ovos, muitas vezes, custam vidas. Não é de hoje que a Nestlé ou a Hershey’s estão envolvidas em escândalos de trabalho escravo e exploração infantil. O chocolate não sai da máquina e vai para o supermercado. Existe um processo de produção muito sujo por trás. Florestas tropicais destruídas (quem lembra do óleo de palma?), animais colocados em riscos e pessoas desumanizadas — seja por ignorar as leis trabalhistas ou, literalmente, escravizá-las. Vale a pena por um prazer momentâneo?

 

CONTINUE LENDO ♥


TAGS:
2o1ACe

Como já falei por aqui, a Páscoa não é exatamente o meu feriado favorito (oi, natal, sinto sua falta!), mas eu entendo toda a animação que se cria em torno desse dia. Não, eu não sou religiosa. Não, eu não tenho crianças na família. Não, eu não como mais chocolate ao leite. Mas, sim, eu […]

Leia mais







30 março, 2017

Sempre achei que playlists são o tipo de post para quando estamos sem inspiração. E é exatamente isso o que está acontecendo aqui: falta inspiração quando o assunto é feminismo. Mas, ao mesmo tempo, essa playlist é algo que eu queria montar há um tempo, pois quando pesquisava músicas feministas no google me deparava com listas curtinhas que não me agradavam tanto. Cadê o pop? O funk? Clássicos como Like a Boy ou Baba?

PLAYLIST - musicas femininistas

No começo do ano, em li um livro chamado The Gifts Of Imperfection (já viu os posts sobre livros?). Nele, a autora nos incentiva a fazer uma playlist que ressalte seu verdadeiro eu. Bom, meu eu é feminista, certo? Eu até fiz uma playlist que faz com que eu me sinta mais real, mas acho que ela é pessoal demais para ser compartilhada. De qualquer forma, fica o convite para pensar nessas músicas que te representem e mais outras 50 para te empoderar, levantar bandeiras e mostrar ou (re)descobrir nosso poder.

 

Vamos deixar claro que eu não fiz a playlist pensando na cantora em si, mas na música. E nos meus gostos pessoais. Tem letra sobre ser independente, preconceito, violência doméstica, de superação, para aumentar autoestima, ignorando os ómi ou sobre descobrindo sua força como mulher.  Olha só algumas delas:

miley cyrus - músicas feministas

Miley Cyrus – Fu 

What makes you think I’ll stick around. I’m not as stupid as you sound and you sound really dumb right now (…) You’re not even worth this rhyme and I don’t, I don’t give a flyin. I don’t really have much to say, I was over it the second that I saw her name. I’ve got two-oh-oh-oh letters for you, one of them’s F, and the other one’s U. 

 

Tradução: O que faz você pensar que eu vou ficar por aqui. Não sou tão idiota quanto você parece e você parece muito idiota agora. Você nem vale a pena por esta rima. E eu não, não dou a mínima. Eu realmente não tenho muito a dizer, já tinha superado no segundo em que vi o nome dela. Eu tenho duas letras para você: uma delas é F e a outra é U.

 

Elza Soares – Maria da Vila Matilde 

Cadê meu celular? Eu vou ligar pro 180. Vou entregar teu nome e explicar meu endereço. Aqui você não entra mais, eu digo que não te conheço e jogo água fervendo. Se você se aventurar, eu solto o cachorro. E, apontando pra você eu grito: péguix guix guix guix. 

 

Mc Linn da Quebrada – Talento

Não adianta pedir que eu não vou te chupar escondida no banheiro. Você sabe que eu sou muito gulosa, não quero só p* eu quero o corpo inteiro. Nem vem com esse papo, feminina tu não come? Quem disse que linda assim, vou querer dar meu c* pra homem? Ainda mais da sua laia de raça tão específica, que acha que pode tudo, na força de deus e na glória da p*.

mary lambert - musicas feministas

Mary Lambert – Secrets 

They tell us from the time were young to hide the things that we don’t like about ourselves inside ourselves. I know I’m not the only one who spent so long attempting to be someone else. Well, I’m over it. I don’t care if the world know what my secrets are. 

 

Tradução: Eles dizem para nós quando somos jovens para esconder as coisas que não gostamos em si mesmos dentro de nós. Eu sei não sou a única que passou tanto tempo tentando ser outra pessoa. Bom, eu superei. Eu não ligo se o mundo souber quais são os meus segredos.

 

Pitty – Desconstruindo Amélia 

Ela foi educada pra cuidar e servir, de costume esquecia-se dela. Sempre a última a sair. Disfarça e segue em frente, todo dia, até cansar. E eis que de repente ela resolve então mudar. Vira a mesa, assume o jogo, faz questão de se cuidar. Nem serva, nem objeto. Já não quer ser o outro, hoje ela é um também. 

 

 

Esqueci alguma música? Conheciam? Tiveram uma surpresa boa? Me contem nos comentários! É engraçado como a música tem vários efeitos no nosso humor, lembranças e sentimentos. Então, por que não usar isso ao nosso favor, para nos fortalecer como protagonistas femininas? GRL PWR 💪🙋

 

 ❤️ Outros posts que você pode gostar ❤️

➳ Como ter sororidade em 10 passos

➳ Por que parei de tomar anticoncepcional?

O estupro em Bates Motel: agressor não é mocinho

Como fazer a diferença (e não ser um babaca)

➳ Meu feminismo não é para agradar homem

 

❤️ Vem ler sobre empoderamento ou passear na categoria Feminismo ❤️

Vamos ser migas redes sociais:

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube


TAGS:
PLAYLIST - musicas femininistas

Sempre achei que playlists são o tipo de post para quando estamos sem inspiração. E é exatamente isso o que está acontecendo aqui: falta inspiração quando o assunto é feminismo. Mas, ao mesmo tempo, essa playlist é algo que eu queria montar há um tempo, pois quando pesquisava músicas feministas no google me deparava com […]

Leia mais











Veja o que acontece por aí