• Pinceis favoritos para pele da Macrilan – Corretivo, base, blush SLIDE
  • simple-responsive-slide-disney


2 março, 2017

Não sou uma pessoa do carnaval. Não gosto de multidões bêbadas, gritando e poluindo o ar, a rua, o mar com seus quilos de glitter. Até aprecio uma boa fantasia, mas longe de mim ser amassada, assediada e passar calor em bloquinhos em que mal consigo ouvir as músicas. Tudo isso para dizer que, na semana do carnaval, eu tento ao máximo me afastar das concentrações de folia. Como uma das minhas metas para 2017 é viajar o máximo que der, eu e minha namorada decidimos passar um dia em Campos do Jordão, nada a ver com carnaval, São Paulo, calor, bloquinhos, amém. E, sim, muito chocolate (que me frustrou, mas daqui a pouco explico o porquê), casas fofinhas e flores.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - ENTRADA

Nós fomos com a Alternativo, uma agência de viagem independente. Não pesquisei outras, porque uma das minhas amigas do técnico (já contei como é ser vegana cursando nutrição aqui!) foi na mesma mini viagem e adorou. Confiei na experiência dela e fechei para o dia 25 de fevereiro. O valor total foi 125 para cada, com ida e volta, passeios e almoço. Mas pelo que olhei por cima, os valores são todos parecidos nesses bate e volta para Campos.

 

Gostei muito da Alternativo, eles são super pontuais e atenciosos. Chegamos atrasados graças ao carnaval (pois é), mas o restante deu tudo certo. Eles combinaram de sair 6h30 da Barra Funda e 6h31 nós estávamos saindo. Teve sorteios no decorrer do dia, o Nathan, nosso guia, era ótimo, eles tentaram resolver os problemas que apareceram prontamente e não tiravam o sorriso do rosto. Ah, uma coisa  importante é que eu me senti bem segura no ônibus, algo que, normalmente, não acontece, já que tenho pavor de estrada. O motorista contratado, porém, era cuidadoso, não correu, não fez coisas loucas e eu consegui dormir 80% do caminho, de quase 3h30. Recomendo.

 

Manhã na Suíça Brasileira

 

Nossa primeira parada foi na Ducha de Prata, um dos pontos turísticos mais conhecidos. São algumas duchas artificiais no meio da natureza, com águas do represamento Ribeirão das Perdizes. Normalmente, se pode tomar um banho nas plataformas de madeira, mas no dia em que fomos essa parte estava em reforma, além do frio, vamos combinar. É um lugar bem gostoso para ouvir o barulhinho da água, sentir o cheiro da natureza e tirar uma fotos.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA 3 UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA 4 UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA 2 UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA

Dica: o banheiro do estacionamento é pago, enquanto um atrás das lojinhas é gratuito. Essas lojinhas também costumam ser mais caras que as do centro, pois isso espere um pouquinho antes de levar um souvenir para casa.

 

Subindo e descendo da Ducha de Prata, passamos pelo Alto das Mansões, bairros distantes e cheios de casas luxuosas. Tem casa de 10 milhões de reais, da Christiane Torloni com uma mini mansão para o cachorro e até do Bispo Edir Macedo. É lindo de ser, assustador de se pensar o quando algumas pessoas tem muito, mas muito dinheiro.

 

CONTINUE LENDO ♥


TAGS:
UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - TRILHOS

Não sou uma pessoa do carnaval. Não gosto de multidões bêbadas, gritando e poluindo o ar, a rua, o mar com seus quilos de glitter. Até aprecio uma boa fantasia, mas longe de mim ser amassada, assediada e passar calor em bloquinhos em que mal consigo ouvir as músicas. Tudo isso para dizer que, na […]

Leia mais







23 fevereiro, 2017

Há sete meses, eu lido de segunda à sexta feira com professores anunciando em frente a 40 alunos como é importante ter proteína animal no prato. Assisto a aulas sobre os nutrientes do leite, como tornar o ovo um alimento mais seguro ou adaptar a carne em cardápios de baixo custo. Já escutei que comer salada em excesso pode trazer malefícios e que é impossível ser vegano sem suplementação. Uma única professora trouxe as questões éticas para a sala de aula. E, claro, ela é vegetariana. Há sete meses eu aprendo como ser uma vegana no curso técnico em nutrição, sem arrumar brigas ou motivos para desistir.

 

No vídeo, conto para vocês um pouquinho da minha experiência no curso. Sobre a recepção das pessoas, as aulas práticas e os momentos em que precisei fazer trabalhos e provas que contrariavam meus ideais. Fazia um tempinho que queria gravar esse vídeo e a minha professora de saúde pública afirmando com total certeza que eu precisava tomar leite para prevenir osteoporose foi o empurrão que eu precisava.

 

 

A questão é que não dá para entrar em um curso de nutrição, seja o técnico ou a graduação, acreditando que você vai escutar aquilo o que deseja. Porque você não vai. Talvez, em nenhum momento. Ou, quem sabe, você dê a sorte de encontrar professores com a mente (e o coração) abertos ou uma grade curricular que permita desviar dos caminhos tradicionais. Mas se tem uma coisa que eu aprendi nesses últimos meses é escutar, absorver o que julgo importante e transformar o incômodo em algo que faça sentido. Projetos e pesquisas paralelas são as expressões chave. Além de jogo de cintura e muita paciência. 

vegana no curso técnico em nutrição

Algumas pessoinhas queridas! ♥

 

CONTINUE LENDO ♥


TAGS:
IMG_20161125_104927359

Há sete meses, eu lido de segunda à sexta feira com professores anunciando em frente a 40 alunos como é importante ter proteína animal no prato. Assisto a aulas sobre os nutrientes do leite, como tornar o ovo um alimento mais seguro ou adaptar a carne em cardápios de baixo custo. Já escutei que comer […]

Leia mais







20 fevereiro, 2017

Tomar certos cuidados com as lentes de contato não é brincadeira e, depois de alguns problemas, eu, finalmente, aprendi!

Obrigada Otto Wichterle pela criação das lentes de contato! E obrigada Wikipédia por me mostrar que um químico as criou, não um oftalmologista. Eu uso essas belezuras há, aproximadamente, uns seis anos e não abro mão. Simplesmente, não consigo me sentir confortável com óculos, além de que o meu grau de miopia é muito alto e as lentes me proporcionam uma visão bem melhor.

CUIDADOS COM AS LENTES DE CONTATO

Acontece que nos últimos dois anos eu tive uns problemas com as minhas lentes. Em dezembro de 2015 e 2016, pelo acaso e, em partes, por descuido, a lente machucou minha córnea e eu precisei usar colírios com antibióticos e tomar uma série de cuidados por um tempo, até que meus olhos se recuperassem. Isso me alertou para o quanto eu me tornei descuidada com essa parte do meu dia a dia. Às vezes, eu nem sequer lavava as lentes antes e depois de tirá-las ou, então, deixava resquícios de maquiagem no soro. No começo, eu era tão regrada que até colocava o paninho no ralo da pia para evitar que a lente caísse, três anos depois eu já estava usando lente rasgada e fora da validade. Eu sei, eu sei, péssimo exemplo. E, acreditem, eu vi algumas das consequências.

 

Mas eu também aprendi algumas coisinhas e cumpri-las é uma das minhas metas de 2017 (falei sobre algumas aqui!). Então, se você usa lentes de contato ou pensa em usar, essas dicas podem te ajudar a não ter nenhum problema. E eu espero que em dezembro de 2017 eu não precise passar pelo mesmo incômodo e repetir as consultas e colírios.

 

Uma observação importante: eu uso a lente gelatinosa anual e sempre consulte um oftalmologista de confiança antes de tomar a decisão de usar uma lente, seja ela colorida, de grau, não importa. Seu olho pode ser resistente, talvez você não se acostume com a anual e prefira as mensais, enfim, consulte um especialista. Ele sabe o que é melhor.

 

O que você pode fazer para cuidar bem das suas lentes de contato? 

 

➳ Descubra qual solução para lente é a melhor para você. Sim, faz diferença. Para mim, por exemplo, a melhor é a Opti-Free.

➳ Lave as mãos com um sabonete anti bactericida antes de colocar e tirar as lentes.

➳ O ideal é que o estojinho seja trocado mensalmente ou, então, esterilizado em água fervente por 30 minutos.

➳ Nunca deixe a solução destampada.

➳ E o estojinho deve ficar de cabeça para baixo sob uma superfície ou pano limpo.

➳ Lave uma vez ao dia seu olho com sabonete neutro, esfregando delicadamente.

➳ Também tenha cuidado ao lavar as lentes com algumas gotinhas da solução, não pese a mão.

➳ Compressa de água gelada pode te ajudar muito quando seu olho estiver irritado.

➳ Cuidado com a maquiagem! Tente não passar rímel nas lentes.

➳ Use e abuse dos colírios. Eu gosto do Hylo-Comod ou Optive UD. Esse último é mais confortável e prático de carregar para os lugares. Mas consulte um oftalmo antes, ok?

➳ Se você notar qualquer desgaste na lente ou manchinhas, troque. Não arrisque.

➳ Tenha um padrão para tirar as lentes, assim você não troca a direita pela esquerda ou vice versa. Comece sempre pelo mesmo olho. É horrível passar o dia incomodado porque você trocou as lentes.

➳ Tente não coçar o olho ou esfregá-lo, com ou sem as lentes.

➳ Cuidado com o horário. Se está em casa, prefira os óculos.

➳ Não durma de lente de contato. Além de aumentar o risco de lesões e infecções, é horrível de tirar depois, sério.

 

Bom, esses são alguns dos cuidados que os oftalmologistas me passaram depois que tive problemas com as minhas lentes. Simples, não? A dificuldade é colocá-los em prática quando você chega cansado em casa ou está com pressa pela manhã. Só que olhos e lentes de contato não são brincadeira, não é só uma questão de estética. 

 

Você usa lente de contato? Tem vontade? Alguma outra dica? Me conta nos comentários!

 

 💚 Outros posts que você pode gostar 💚

 

Final de semana cheio de amor

➳ Desapegando das minhas maquiagens

Sabonete vegano para o rosto

Não seja um one upper

➳ Desodorante natural e caseiro

 

💚 Vem ler mais na tag experiências ou beleza 💚

Também estou aqui: 

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube


TAGS:
CUIDADOS COM A LENTE DE CONTATO

Tomar certos cuidados com as lentes de contato não é brincadeira e, depois de alguns problemas, eu, finalmente, aprendi! Obrigada Otto Wichterle pela criação das lentes de contato! E obrigada Wikipédia por me mostrar que um químico as criou, não um oftalmologista. Eu uso essas belezuras há, aproximadamente, uns seis anos e não abro mão. […]

Leia mais











Veja o que acontece por aí