• Pinceis favoritos para pele da Macrilan – Corretivo, base, blush SLIDE
  • simple-responsive-slide-disney


9 abril, 2017

Como já falei por aqui, a Páscoa não é exatamente o meu feriado favorito (oi, natal, sinto sua falta!), mas eu entendo toda a animação que se cria em torno desse dia. Não, eu não sou religiosa. Não, eu não tenho crianças na família. Não, eu não como mais chocolate ao leite. Mas, sim, eu comemoro, à minha maneira, a Páscoa.

Por que não gostar da páscoa? Lado ruim, escravidão, crueldade, vegan

Pena que esse post não fala sobre comemorações. Calma, nós vamos ter a parte dois, mais positiva, com coelhinhos pulantes. Só que hoje eu quero conversar com vocês um pouco a respeito do porquê da páscoa não ser tão feliz assim. 

 

Açúcar everywhere e sua saúde de lado

 

Ai, lá vem a pseudo-nutricionista querer controlar tudo o que os outros comem. Não é bem por aí. Acontece que na páscoa a gente esquece que açúcar e gordura demais (não ache que seu ovo é cacau puro, ok?) tem consequências demais. Não estamos falando sobre peso, ninguém é fiscal da balança alheia. Eu estou falando sobre coisas como dor de cabeça, cansaço, mal estar, sintomas de hipoglicemia. E, é claro, o açúcar tem consequências ainda piores a longo prazo.

 

Eu acho péssimo não ter controle, principalmente, sobre o que as crianças comem apenas porque é feriado. É ótimo saborear um chocolate, mas é além do limite comer um ovo em um dia ou, então, vários em uma semana. Vamos pensar um pouquinho no nosso corpo. Será que ele vai lidar bem com essa chuva de ovo de páscoa? Bom, tenho certeza que não.

 

Sabor amargo da escravidão  

 

Vidas. Ovos, muitas vezes, custam vidas. Não é de hoje que a Nestlé ou a Hershey’s estão envolvidas em escândalos de trabalho escravo e exploração infantil. O chocolate não sai da máquina e vai para o supermercado. Existe um processo de produção muito sujo por trás. Florestas tropicais destruídas (quem lembra do óleo de palma?), animais colocados em riscos e pessoas desumanizadas — seja por ignorar as leis trabalhistas ou, literalmente, escravizá-las. Vale a pena por um prazer momentâneo?

 

Vamos lembrar que as grandes indústrias não querem o bem de ninguém, elas querem lucrar. E para ter dinheiro no bolso deles, tem muita gente pagando caro. Então, nessa páscoa, encomende um ovo (vegano, please) de quem faz com amor e carinho, controlando todas as etapas do processo. De alguém que você não precise esperar horas no SAC para tirar uma dúvida ou pagar um fortuna que, na verdade, vai beneficiar somente quem já está no topo. Ah, tem um post com indicação de várias minas maras que fazem ovos de páscoa, clica aqui para conferir.

Por que não gostar da páscoa? Lado ruim, escravidão, crueldade

Páscoa não é desculpa para explorar animais

 

Eu não consigo acreditar que existem pessoas que presenteiam crianças com coelhos nessa data. Não basta comprar cachorro indiscriminadamente (vem ver porque adoção é bem mais amor aqui), agora saem distribuindo coelhos por aí para pessoas que mal sabem como cuidar de um bichinho como esse. Animal não é objeto! Será que precisa desenhar?

 

Sem falar no abandono depois dessa data. Fez a alegria da criança, tirou fotinhos, achou fofinho, viu como dá trabalho, pronto, não quer mais. Aí pensa que coelho consegue se virar bem sozinho em qualquer mato e o bichinho acaba morrendo, a mercê da própria sorte.

 

Na páscoa, não dê coelho. Dê pelúcias.

 

Crueldade mascarada de chocolate

 

Senta que lá vem a vegana. É lindo, é gostoso, mas é cheio de crueldade animal. Tem uma frase que diz que em um copo de leite há mais crueldade que em um bife. Isso é real. A carne provoca mais reações negativas porque você pensa que o boi precisou morrer para estar ali no seu prato, mas e se compararmos isso a uma vida inteira de tortura, sofrimento, humilhação e exploração? Não dá praticamente no mesmo?  

 

A indústria de laticínios é terrível. Assista esse vídeo aqui para ter uma ideia e lembre-se: se não é bom para os olhos, por que é bom para você? Imagina ser inseminada contra sua vontade para poder produzir leite, gerar uma nova vida e, então, ter o seu filhote arrancado para ser morto e virar baby beef. Mas não basta, você ainda é mantida em condições horríveis e aquele leite que era para ser do seu filhote é arrancado a força, te machucando e assim sucessivamente até que você não aguenta mais e simplesmente desiste, literalmente. Uma vida por um ovo. 

 

Que tal um chocolatinho amargo (sem escravidão)? 

 

Uma festa para o consumo

 

Desenfreado. E no melhor papel de trouxa. Porque, gente, nas semanas anteriores à páscoa o ovo custa R$60, no dia seguinte custa R$30. E um só não basta. Você quer dois, três, quatro, dez ovos de páscoa. E até o ovo tem status, uns são mais queridos que outros. Você considera até o brinde que vem dentro. E crianças ficam loucas com as propagandas, como se a felicidade naquele momento estivesse atrelada a ter aquele ovo com um relógio ou aquele chocolate com uma caneca. E essas coisinhas estarão no lixo meses depois. E tantos outros “e” que nos impedem de ver com clareza o que estamos apoiando. 

 

Além disso, por que os corredores são divididos entre ovos das meninas e ovos dos meninos? É a parte de ovos de chocolate ou de brinquedos? E as milhares de irregularidades no que diz respeito à publicidade infantil? O sentido, na verdade, é ganhar, acumular e aumentar a glicemia?

 

Está tudo bem em consumir, gostar de ganhar ovos ou presentear alguém. Só vamos ter um pouquinho mais de consciência. Faz bem.

 

Esses são os meus motivos para olhar para a páscoa com a boca torta. Vocês tem mais algum? Me contem! Gente, lembrando que eu gosto da páscoa, tudo bem? Vai ter um post sobre as partes boas, só não podemos fingir que as ruins simplesmente não existem.

 

❤ Outros posts que você pode gostar ❤

 

Por que açúcar demerara é melhor que o branco?

➳ Onde encontrar salgadinhos veganos em São Paulo?

Aplicativos para compras conscientes

Low Poo Vegano

➳ Um ano sem comprar roupas?

Como ter sororidade em 10 passos

Vídeos que te fazem pensar

 

Também estou aqui: 

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube


Como já falei por aqui, a Páscoa não é exatamente o meu feriado favorito (oi, natal, sinto sua falta!), mas eu entendo toda a animação que se cria em torno desse dia. Não, eu não sou religiosa. Não, eu não tenho crianças na família. Não, eu não como mais chocolate ao leite. Mas, sim, eu comemoro, à minha maneira, a Páscoa.

Por que não gostar da páscoa? Lado ruim, escravidão, crueldade, vegan

Pena que esse post não fala sobre comemorações. Calma, nós vamos ter a parte dois, mais positiva, com coelhinhos pulantes. Só que hoje eu quero conversar com vocês um pouco a respeito do porquê da páscoa não ser tão feliz assim. 

 

Açúcar everywhere e sua saúde de lado

 

Ai, lá vem a pseudo-nutricionista querer controlar tudo o que os outros comem. Não é bem por aí. Acontece que na páscoa a gente esquece que açúcar e gordura demais (não ache que seu ovo é cacau puro, ok?) tem consequências demais. Não estamos falando sobre peso, ninguém é fiscal da balança alheia. Eu estou falando sobre coisas como dor de cabeça, cansaço, mal estar, sintomas de hipoglicemia. E, é claro, o açúcar tem consequências ainda piores a longo prazo.

 

Eu acho péssimo não ter controle, principalmente, sobre o que as crianças comem apenas porque é feriado. É ótimo saborear um chocolate, mas é além do limite comer um ovo em um dia ou, então, vários em uma semana. Vamos pensar um pouquinho no nosso corpo. Será que ele vai lidar bem com essa chuva de ovo de páscoa? Bom, tenho certeza que não.

 

Sabor amargo da escravidão  

 

Vidas. Ovos, muitas vezes, custam vidas. Não é de hoje que a Nestlé ou a Hershey’s estão envolvidas em escândalos de trabalho escravo e exploração infantil. O chocolate não sai da máquina e vai para o supermercado. Existe um processo de produção muito sujo por trás. Florestas tropicais destruídas (quem lembra do óleo de palma?), animais colocados em riscos e pessoas desumanizadas — seja por ignorar as leis trabalhistas ou, literalmente, escravizá-las. Vale a pena por um prazer momentâneo?

 

Vamos lembrar que as grandes indústrias não querem o bem de ninguém, elas querem lucrar. E para ter dinheiro no bolso deles, tem muita gente pagando caro. Então, nessa páscoa, encomende um ovo (vegano, please) de quem faz com amor e carinho, controlando todas as etapas do processo. De alguém que você não precise esperar horas no SAC para tirar uma dúvida ou pagar um fortuna que, na verdade, vai beneficiar somente quem já está no topo. Ah, tem um post com indicação de várias minas maras que fazem ovos de páscoa, clica aqui para conferir.

Por que não gostar da páscoa? Lado ruim, escravidão, crueldade

Páscoa não é desculpa para explorar animais

 

Eu não consigo acreditar que existem pessoas que presenteiam crianças com coelhos nessa data. Não basta comprar cachorro indiscriminadamente (vem ver porque adoção é bem mais amor aqui), agora saem distribuindo coelhos por aí para pessoas que mal sabem como cuidar de um bichinho como esse. Animal não é objeto! Será que precisa desenhar?

 

Sem falar no abandono depois dessa data. Fez a alegria da criança, tirou fotinhos, achou fofinho, viu como dá trabalho, pronto, não quer mais. Aí pensa que coelho consegue se virar bem sozinho em qualquer mato e o bichinho acaba morrendo, a mercê da própria sorte.

 

Na páscoa, não dê coelho. Dê pelúcias.

 

Crueldade mascarada de chocolate

 

Senta que lá vem a vegana. É lindo, é gostoso, mas é cheio de crueldade animal. Tem uma frase que diz que em um copo de leite há mais crueldade que em um bife. Isso é real. A carne provoca mais reações negativas porque você pensa que o boi precisou morrer para estar ali no seu prato, mas e se compararmos isso a uma vida inteira de tortura, sofrimento, humilhação e exploração? Não dá praticamente no mesmo?  

 

A indústria de laticínios é terrível. Assista esse vídeo aqui para ter uma ideia e lembre-se: se não é bom para os olhos, por que é bom para você? Imagina ser inseminada contra sua vontade para poder produzir leite, gerar uma nova vida e, então, ter o seu filhote arrancado para ser morto e virar baby beef. Mas não basta, você ainda é mantida em condições horríveis e aquele leite que era para ser do seu filhote é arrancado a força, te machucando e assim sucessivamente até que você não aguenta mais e simplesmente desiste, literalmente. Uma vida por um ovo. 

 

Que tal um chocolatinho amargo (sem escravidão)? 

 

Uma festa para o consumo

 

Desenfreado. E no melhor papel de trouxa. Porque, gente, nas semanas anteriores à páscoa o ovo custa R$60, no dia seguinte custa R$30. E um só não basta. Você quer dois, três, quatro, dez ovos de páscoa. E até o ovo tem status, uns são mais queridos que outros. Você considera até o brinde que vem dentro. E crianças ficam loucas com as propagandas, como se a felicidade naquele momento estivesse atrelada a ter aquele ovo com um relógio ou aquele chocolate com uma caneca. E essas coisinhas estarão no lixo meses depois. E tantos outros “e” que nos impedem de ver com clareza o que estamos apoiando. 

 

Além disso, por que os corredores são divididos entre ovos das meninas e ovos dos meninos? É a parte de ovos de chocolate ou de brinquedos? E as milhares de irregularidades no que diz respeito à publicidade infantil? O sentido, na verdade, é ganhar, acumular e aumentar a glicemia?

 

Está tudo bem em consumir, gostar de ganhar ovos ou presentear alguém. Só vamos ter um pouquinho mais de consciência. Faz bem.

 

Esses são os meus motivos para olhar para a páscoa com a boca torta. Vocês tem mais algum? Me contem! Gente, lembrando que eu gosto da páscoa, tudo bem? Vai ter um post sobre as partes boas, só não podemos fingir que as ruins simplesmente não existem.

 

❤ Outros posts que você pode gostar ❤

 

Por que açúcar demerara é melhor que o branco?

➳ Onde encontrar salgadinhos veganos em São Paulo?

Aplicativos para compras conscientes

Low Poo Vegano

➳ Um ano sem comprar roupas?

Como ter sororidade em 10 passos

Vídeos que te fazem pensar

 

Também estou aqui: 

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube


TAGS:




2 Comentários em “Por que não gostar da páscoa?”


Ana Mastrochirico

A pascoa não é meu feriado favorito tbm, depois que a gente vira adulto ela perde MUITO a graça e olhando pra ela sob esse seu ponto de vista da menos vontade ainda de comemorar. A gente come doce e se diverte em cima de trabalho escravo, isso é errado demais pra gente ignorar. Concordo plenamente com vc Ana!

Júlia

Infelizmente qualquer feriado ou festa se tornou sinônimo de consumismo, e não só a páscoa, como o natal, dia das mães enfim. Eu ao contrário de vc sou religiosa e gosto muito de comemorar a páscoa, Já o natal e a virada do ano para mim é uma tortura.
http://www.verdeveggie.blogspot.com.br


Deixe seu comentário:



Veja o que acontece por aí