DESCOMPLICANDO O VEGANISMO
RECEITAS VEGANAS
Transição para o veganismo


9 abril, 2018

Às vezes, cometemos erros. E alguns desses erros ficam marcados para sempre. Esse foi o caso do pônei, cavalo ou unicórnio, como que preferir, tatuado nas minhas costas, fruto de impulsividade e uma queda por promoções. Mas, ainda bem, que existem as coberturas de tatuagem! No meu caso, patinhas tortas e um rabo desproporcional se transformaram em um desenho incrível que representa veganismo, feminismo e muito amor. Quer saber mais sobre essa história? Então, dá o play que eu te conto tudo em detalhes!

 

 

Essa tatuagem representa uma série de coisas importantes na minha vida. Um cavalinho qualquer ganhou propósito por meio das mãos e agulhas da May. Toda vez que eu olho para essa tatuagem, lembro da Dara e do Fred, meus bichinhos que amo tanto. Lembro das coisas que acredito, das vidas pelas quais vale a pena lutar e do caminho que ainda preciso percorrer para fazer a diferença.

TATUAGEM VEGANA COBERTURA DE TATUAGEM

Logo após fazer l Uma semana depois

 

Em relação à cicatrização, devo admitir que minha pele é muito boa para tatuagem. É claro, eu cuido direitinho. Nos primeiros 15 dias, sempre deixo a tatuagem limpinha e bem hidratada. Ninguém pode colocar os dedinhos sujos e aproveito para suplementar o zinco, mineral que ajuda na cicatrização – falei sobre isso neste vídeo. Lembre-se de conversar com o seu tatuador e tirar todas as dúvidas.

 

A tatuagem desbotou bastante, principalmente, as flores, mas não senti a necessidade de retocar. Sim, tem uma bolinha aleatória apenas em uma bochecha. Por enquanto, vamos fingir que é um cabelinho e, na próxima tatuagem, eu arrumo, como se fosse um blush. Não é algo que me incomoda, então, não teria porque ir até a casa da May novamente, muito longe da minha, diga-se de passagem, só para arrumar.

 

Como fazer uma tatuagem vegana?

TATUAGEM VEGANA - FIZ UMA TATUAGEM E ME ARREPENDI

Para se certificar de que a sua tatuagem será 100% vegana, existem alguns cuidados a se seguir. Primeiro, confira com o estúdio ou tatuador se a tinta usada é vegana. Isso porque algumas marcas usam ossos queimados de animais e gordura animal na composição. Além da Eletric Ink, sei que a Ethernal, Skin Candy e Starbright são veganas.

 

A tinta é vegana? Oba! Agora, é preciso se preocupar com a lâmina. As reutilizáveis possuem uma camada de glicerina, para aumentar a hidratação. Essa glicerina, porém, pode ser de origem animal ou vegetal. As tirinhas lubrificantes também podem ter lanolina, obtida a partir da cera de lã. Não custa levar a sua lâmina, certo? Você pode optar pelas produzidas pela American Safety Razor.

 

Por fim, temos os cuidados pós tatuagem que envolvem higienização e hidratação. Invista em óleo de coco ou manteiga de cacau e sabonete com base vegetal, o mais neutro possível.

 

O que você achou da minha tatuagem vegana? Tem algum desenho no seu corpo que representa o veganismo? Também ama tatuagens? Vamos conversar nos comentários ❤

 

❤ Outros posts que você pode gostar ❤

 

Verdades sobre o veganismo que ninguém te conta

➳ O que eu como em um dia?

#BelezaVegana: marcas de maquiagem veganas (100%)

Como substituir leite?

Sorvete vegano em uma nuvem de algodão doce

Como saber se um produto é vegano?

➳ Lugares veganos para visitar em SP

O que você pode fazer pelo feminismo

 

Vem passear na categoria Experiências ou na tag veganismo 🌱

Também estou aqui: 

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube

TATUAGEM VEGANA - FIZ UMA TATUAGEM E ME ARREPENDI

Às vezes, cometemos erros. E alguns desses erros ficam marcados para sempre. Esse foi o caso do pônei, cavalo ou unicórnio, como que preferir, tatuado nas minhas costas, fruto de impulsividade e uma queda por promoções. Mas, ainda bem, que existem as coberturas de tatuagem! No meu caso, patinhas tortas e um rabo desproporcional se […]

Leia mais



TAGS:






5 abril, 2018

Nós falamos bastante sobre beleza vegana por aqui. Já te indiquei lojas, marcas, fiz lista com maquiagens veganasresenhas e até sorteio em parceria com uma marca de acessórios conscientes. Após um mês de blog paradinho, voltei com mais um post e vídeo sobre o assunto. Dessa vez, segui a ideia de uma seguidora lá do instagram e vou mostrar minha rotina de cuidados veganos com a pele.

 

Esse vídeo, porém, não é uma resenha. Ele é uma inspiração, um incentivo a procurar por marcas mais éticas e, quem sabe, testar os mesmos produtos que uso. No vídeo, falo um pouco sobre o que me ajudou a reduzir a acne e mostro em detalhe os cosméticos veganos que me acompanham à noite e pela manhã.

 

No total, são cinco: 2 sabonetes, adstringente, hidratante e protetor solar – além de uma máscara e um esfoliante ocasionalmenteDê o play e depois continue lendo para mais informações, ok?

 

 

Cuidados veganos com a pele, os produtos

Lembrando que se você quiser uma resenha de qualquer um desses itens, é só me falar nos comentários! Nesse post, me atenho a listá-los e te mostrar onde você pode encontrar cada um.

 

➵ Óleo de Coco Copra – comprei o meu no Sam’s Club, mas você encontra no Mundo Verde e outras lojas de produtos naturais.

➵ Sabonete Hamamelis, Adstringente Rosas e Camomila e Hidrante Lavanda – todas da Unevie!

➵ Sabonete Fefa Pimenta – como comentei no vídeo, eu ganhei de uma amiga e não sei qual é, mas pela cor, temos duas opções: argila cinza e hortelã ou argila verde e tea tree.

➵ Protetor Solar Alba Botanica – não conheço nenhuma loja confiável que venda Alba no Brasil, mas caso conheça alguém que vai viajar dá uma olhada no meu post com dicas de onde encontrar cosméticos naturais e cruelty free nos EUA.

➵ Esfoliante Yes To! Tomatoes e Máscara Alba Botanica Hawaiian Papaya Enzyme – mesma coisa do protetor, ainda não encontrei lojas confiáveis 😢

 

Os ingredientes dos produtos

 

Aqui está a lista dos ingredientes de cada um dos produtos usados nos meus cuidados veganos com a pele. Assim, você pode fazer escolhas ainda mais conscientes do que é o melhor para você!

 

Sabonete Hamamelis: óleo essencial de melaleuca, óleo essencial de capim limão, óleo essencial de cedro, óleo vegetal de arroz, óleo vegetal de palma, óleo vegetal de palmiste, azeite orgânico, óleo vegetal de mamona, cera de candelila, glicerina vegetal, extrato de arnica, extrato de hamamelis, pó de enxofre, picão, guaçatonga, bardana, urucum, estearina vegetal, argila branca, água desmineralizada, hidróxido de sódio, resina de alecrim e vitamina E.

 

Adstringente Rosas e Camomila: água de rosas com hamamelis e arnica, água de melissa e flor de laranjeira com camomila, combinação de ervas, bardana, óleo essencial de lavanda e vitamina E.

 

Hidrante Lavanda: cera de candelila, óleo buckthorn, hamamelis, óleo vegetal de gérmen de trigo, óleo vegetal de abacate, óleo vegetal de alóe vera, extrato de camomila, óleo essencial de lavanda, óleo de tamanu, manteiga de karité, manteiga de manga,  resina de alecrim e vitamina E.

 

CUIDADOS VEGANOS COM A PELE

Nós falamos bastante sobre beleza vegana por aqui. Já te indiquei lojas, marcas, fiz lista com maquiagens veganas, resenhas e até sorteio em parceria com uma marca de acessórios conscientes. Após um mês de blog paradinho, voltei com mais um post e vídeo sobre o assunto. Dessa vez, segui a ideia de uma seguidora lá do instagram e vou […]

Leia mais



TAGS:






14 fevereiro, 2018

Há um tempo, fiz um post com 10 verdades que ninguém te conta sobre o feminismo. Decidi, então, estender a ideia para o veganismo. Um assunto que, igualmente, é repleto de mitos. Algumas verdades, é claro, doem. Mas antes ter tudo esclarecido e com os devidos pingos nos is que ficar pregando o senso comum por puro comodismo e ignorância.

 

10 verdades sobre o veganismo 🌱

VERDADES SOBRE O VEGANISMO 2

1 ➳ O veganismo não é caro, ele é elitista. Comentei um pouco sobre isso em um post com o vídeo de compras veganas, mas se você quiser entender mais sobre o assunto recomendo fortemente o texto como é ser vegana e favelada.

 

Basicamente, precisamos entender que o veganismo está associado a privilégios sociais e o principal deles é o acesso à informação de qualidade. Agrião, beterraba, pepino e cenoura não são alimentos caros. Mas olhe ao seu redor: famosos vegetarianos, pratos à base de plantas com preços exorbitantes, instagrans de veganos hipsters, hambúrgueres industrializados vegetarianos pelo dobro do preço… Qual é a imagem que se tem do veganismo? É frescura, coisa de gente rica. O veganismo é vendido para elite, mesmo que não seja algo caro em si. 

 

2 ➳ E desse conceito pulamos para a verdade nº 2, nem toda vegana é saudável, magra, esbelta e malhada. É comum pensar que muitos veganos mudam seus hábitos pensando, principalmente, na saúde. E isso inclui acrescentar ao seu armário nutricional yeast, spirulina, maca peruana e outros suplementos verdes e, aparentemente, mágicos. Ah, e acordar às 5h da manhã para correr e fazer yoga. Pena que não é assim que funciona.

 

Tem muito vegano que só come carboidrato (haja batata!), fritura e industrializados. Não bebe nenhum copinho de água por dia e passa longe de salada crua. E nem venha me dizer que um pedaço de bife resolveria o problema, viu? Porque tem muito carnista por aí que acha que está abalando com um prato de arroz, feijão e carne, mas, na real, você está fazendo as escolhas erradas da mesma maneira.

 

Nem toda vegana vai à academia, faz poses de yoga na praia ou bebe suco verde todos os dias. Nem toda vegana é Yasmin Brunet.

 

3 ➳ Assim como nem todo vegana é saudável, se você é vegana apenas por saúde, deixa eu te contar um segredo: você não é vegana. Você só não come alimentos de origem animal, ou seja, é vegetariana estrita. Ponto.

 

O termo veganismo, em primeiro lugar, parte da preocupação com os animais. Depois, vem o meio ambiente, a saúde, o slow fashion, o pequeno empreendedor, o que você quiser. O abate de animais e seu sofrimento foram o ponto de partida para a criação da The Vegan Society, não a preocupação com o câncer. O veganismo está intrinsecamente ligado à causa animal.

VERDADES SOBRE O VEGANISMO

4 ➳ Não é porque você aderiu a essa filosofia de vida que você, automaticamente, passa a odiar queijo, picanha e doce de leite. O gosto das coisas não muda. O que muda é a sua visão sobre aquele alimento.

 

Poucos veganos não gostam de alimentos de origem animal. O veganismo é uma escolha. Você abre mão de convenções sociais por um bem maior. Infelizmente, isso não significa que o pudim ou o hod dog deixarão de ser gostosos, mas, sim, que um minuto de prazer na boca não valerá a pena diante de tanta morte e sofrimento. O fim, nesse caso, jamais justificará os meios.

 

Mas eu te garanto uma coisa: com o passar do tempo, você acaba esquecendo o gosto das coisas e se abre diante de tantos novos sabores.

 

Há um tempo, fiz um post com 10 verdades que ninguém te conta sobre o feminismo. Decidi, então, estender a ideia para o veganismo. Um assunto que, igualmente, é repleto de mitos. Algumas verdades, é claro, doem. Mas antes ter tudo esclarecido e com os devidos pingos nos is que ficar pregando o senso comum […]

Leia mais



TAGS:








NÃO PERCA AS NOVIDADES, CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER!