DESCOMPLICANDO O VEGANISMO
RECEITAS VEGANAS
Transição para o veganismo


7 julho, 2016

Dei o play no Netflix e encontrei o clássico começo dos documentários sobre o assunto: doenças, remédios, obesidade, gordura, fast food. O que comemos está nos matando. Essa, talvez, é a primeira geração de crianças que viverá menos que os seus pais. Um conjunto de discursos e programas de televisão lembrando como a situação é alarmante. Qual é então a solução? Diminuir alimentos de origem animal, processados e aumentar os integrais e vegetais? Simples assim?

FORKS OVER KNIFES - RESENHA

É isso o que Forks Over Knifes, ou Troque a Faca Pelo Garfo, tenta responder, a partir da visão de especialistas, como o Dr. T. Colin e Dr. Caldwell Esselstyn. No fim, a conclusão é quase óbvia: sim, é simples assim. Uma alimentação vegana não só previne, como é capaz reverter muitas doenças. Os pacientes ao longo do documentário mostram como isso é possível. Chegou, então, a hora de abrir a sua geladeira e pensar: isso está me dando vida ou me aproximando do fim?

 

Esse é mais um dos documentários para a listinha de: balde de água fria que te faz questionar toda a sua alimentação. Até mesmo para mim que já sou vegetariana. Ao mesmo tempo que ele reforça minhas convicções, fica impossível não repensar alguns dos meus hábitos e querer cortar de vez os alimentos de origem animal. 

 

Ao invés de fazer uma resenha por aqui, decidi separar as principais ideias do Forks Over Knifes e agrupar nesse post. É claro, no documentário tudo é bem explicadinho, com dados, a fala dos profissionais e argumentos. Mas dá para pegar a mensagem com esses tópicos:

 

➳ Consumir alimentos de origem animal aumenta o colesterol e doenças cardiovasculares

 

Usando o histórico de pesquisa dos médicos que o documentário acompanha, estudos de laboratório e casos reais, Forks Over Knifes mostra como os alimentos de origem animal contribuíram para aumentar consideravelmente o número de doenças fatais.

FORKS OVER KNIFES - CÂNCER E CARNE

Para não deixar muito abstrato, um dos exemplos citados pelo Dr Esselstyn é caso da Noruega. Quando os alemães chegaram na país, em 1940, confiscaram todos os animais para abate ou produção de derivados com a intenção de usá-los para alimentar somente as tropas. Consequentemente, a população passou a ter uma dieta essencialmente baseada em verduras, legumes e frutas. O que aconteceu? O nível de doenças cardiovasculares caiu drasticamente. Mas com o fim do regime nazista e a volta dos produtos de origem animal, lá veio o derrame e os ataques do coração outra vez.

 

➳ Proteína animal é muita boa em causar câncer

 

Dei o play no Netflix e encontrei o clássico começo dos documentários sobre o assunto: doenças, remédios, obesidade, gordura, fast food. O que comemos está nos matando. Essa, talvez, é a primeira geração de crianças que viverá menos que os seus pais. Um conjunto de discursos e programas de televisão lembrando como a situação é […]

Leia mais



TAGS:








NÃO PERCA AS NOVIDADES, CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER!