12 dezembro, 2017

Quando éramos crianças, a noite de natal se resumia em ser emperiquitado (essa expressão ainda existe?) pelos nossos pais, receber os presentes do papai noel e reencontrar os primos para brincar de esconde-esconde ou banco imobiliário. Acontece que todos nós crescemos e a paciência, por sua vez, ao contrário, diminui. E o natal vira a data em que nos tornamos alvos de comentários constrangedores e piadinhas desnecessárias.

COMO SOBREVIVER AO NATAL

É um fato que a vida em sociedade, às vezes, pode ser uma droga. A convivência familiar, então, nem se fala. Mas, independentemente das nossas diferenças, ainda somos seres sociais, que gostam de uma reuniãozinha para tomar uns bons drinks, cantar no karaokê e conversar, enquanto o cabelo fica com cheiro de churrasco ou a mão melada de pêssego. Nós precisamos uns dos outros. Para muitas coisas, mais do que gostaríamos em alguns casos.

 

Nesse contexto, o natal (sinônimo de reunião familiar), ao mesmo tempo em que é uma época mágica, pode ser uma fonte de estresse se você permitir. Não só por comentários machistas ou homofóbicos, nós já falamos sobre isso aqui e eu sou a favor de levantar bandeiras decoradas com pisca pisca e o bom velinho. Mas também precisamos lembrar que nós temos, assim como os outros ao nosso redor, conflitos pessoais e problemas do dia dia, os quais ninguém quer ficar debatendo na mesa com um tofu recheado (por aqui não tem peru!).

 

Então, esse post surgiu como a parte II do como fazer a diferença (e não ser um babaca) versão natalina. É um guia para te ajudar a não causar discórdia ou desconfortos, assim como não enlouquecer com aquele cunhado insuportável ou precisar ir se isolar na sala para não se sentir menosprezada ou pressionada.

 

Alerta: esse post é uma ótima indireta! 😜

Dicas para sobreviver ao natal

e ficar tão plena quanto esse gatinho!

COMO SOBREVIVER AO NATAL - GATOS

COMO NÃO SER UM BABACA

 

➳ Não faça comentários sobre o peso de ninguém.

➳ Se tal pessoa disse que estava dieta, não seja fiscal do prato alheio. Ninguém precisa da sua permissão para comer o que bem entender.

➳ Já se a pessoa está de dieta, mostre apoio, ao invés de criticar porque nem no natal ela vai ter uma folga. 

➳ Não fique fazendo ceninha de hm, olha como essa linguiça está gostosa na frente de vegetarianos ou veganos como se nós fossemos cachorros. É patético.

➳ Não coma todo o prato que o vegetariano ou vegano trouxe para a ceia. Tenha bom senso, nós temos fome.

➳ Se alguém terminou um relacionamento recentemente, não pergunte, a não ser que a própria pessoa comece o assunto.

➳ Se alguém começou um novo relacionamento e levou a pessoa para a festa de família, não fale do ex ou faça piadinhas que só você acha graça.

➳ Aliás, não pergunte dos namoradinhos ou namoradinhas. Ninguém é obrigado a entrar em um relacionamento para suprir a sua necessidade de fofoca. Além de que esse é um assunto muito delicado para a comunidade LGBT.

➳ Tire a frase isso é mimimi do seu vocabulário. Está proibido falar isso no natal.

CONTINUE LENDO E VEJA TAMBÉM COMO SOBREVIVER AOS BABACAS ♥

Quando éramos crianças, a noite de natal se resumia em ser emperiquitado (essa expressão ainda existe?) pelos nossos pais, receber os presentes do papai noel e reencontrar os primos para brincar de esconde-esconde ou banco imobiliário. Acontece que todos nós crescemos e a paciência, por sua vez, ao contrário, diminui. E o natal vira a […]

Leia mais



TAGS:






26 Janeiro, 2017

2016 acabou, assim como o 40 coisas em 100 dias, projeto do blog Declara que entrei no fim do ano passado (vem ver os resultados da primeira parte aqui!). Eu adorei a ideia e acho que ela funcionou bem para mim, libriana indecisa e idealizadora de plantão. Por isso, decidi fazer a versão 2017, com um pouco mais de motivação para riscar a maioria dos itens. Vamos nessa?

40 coisas em 100 dias

Começo 26/01/2017 l Término: 06/05/2017

 

💚 ENTRE ANAS 💚

 

➳ Fazer uma semana de vídeo todos os dias.

➳ Postar um vídeo a cada 15 dias (3/8).

➳ Publicar dois posts por semana (de qualquer categoria) (13/34).

➳ Fazer um sorteio.

Deixar os posts prontos com quatro dias de antecedência(consegui isso nos primeiros meses!)

➳ Criar quatro vídeos especiais para a fanpage (0/4).

➳ Gravar três receitas (0/3).

 

💚 ESTUDOS & CULTURA 💚

 

➳ Assistir a um espetáculo de dança.

➳ Ir ao teatro.

➳ Terminar Heir.

Assistir dois documentários no Netflix (2/2) (Living on one dollar e Cidade de Deus – 10 anos depois) 

➳ Assistir a 20 filmes (16/20). (O Chamado, O Chamado III, Contágio, Animais Noturnos, A Teoria de Tudo, Lion, Capitão Fantástico, Gone Girl, Monstros S.A, Universidade Monstros, Vida de Inseto, Ratatouile, Personal Shopper, Her, A Bela e a Fera, Devil

➳ Não deixar tudo na faculdade e técnico para última hora (esse vai ser difícil!)

➳ Conseguir 200 horas complementares.

Ler O Milagre da Manhã.

 

CONTINUE LENDO ♥

2016 acabou, assim como o 40 coisas em 100 dias, projeto do blog Declara que entrei no fim do ano passado (vem ver os resultados da primeira parte aqui!). Eu adorei a ideia e acho que ela funcionou bem para mim, libriana indecisa e idealizadora de plantão. Por isso, decidi fazer a versão 2017, com […]

Leia mais



TAGS:






25 dezembro, 2016

Eu pensei em fazer esse post antes do natal, com dicas de como lidar com comentários machistas, homofóbicos, racistas, gordofóbicos, entre outros. Porém, ao fim deste 25 de dezembro, a única coisa que eu tenho a dizer é: não se cale, nem mesmo nas festas de fim de ano. Eu sei que esse pode não parecer o espírito natalino de união, mas comportamentos assim não devem passar despercebidos. Já diria Paola Carosella: vamos acender a luz na cara deles. Nem que seja o pisca pisca da árvore de natal.

NÃO SE CALE NEM MESMO NAS FESTAS DE FIM DE ANO - MACHISMO FIM DE ANO

Ok, não estou te pedindo para começar uma briga no meio da ceia. Não é a ideia jogar pratos para o alto e gritar ofensas. Mas não é justo que discursos errados se repitam todos os anos, sem que ninguém levante a voz para dizer: ei, você está equivocado. Porque discurso de ódio não é opinião. Se o seu tio está sendo machista, ele merece escutar tanto quanto aquele conhecido falando que lugar de mulher é na cozinha. Se seu primo está sendo lesbofóbico, esqueça as risadinhas constrangidas, ele também merece escutar como aquele moço aleatório no facebook comentando que Jesus criou o homem e a mulher (só escrevendo isso meus olhos se reviram).

 

Não releve porque é fim de ano atitudes que no dia a dia machucam, oprimem, excluem, matam. Se o machismo (e outros) não tira férias de fim de ano, por que a sua militância iria? Você não pode se calar. São os comportamentos errados que devem mudar. Não é você que tem que retirar da sala quando começam as piadas e comentários desnecessários, são essas piadas e comentários que precisam acabar.

 

Festas de fim de ano não são para causar angústia ou receio. É uma época para ser grato, relembrar momentos bons e estar com quem se ama – além de comer muito, é claro. Só que desde quando amor é motivo para dar um passo para trás e ignorar tudo aquilo o que você acredita? Família é café com leite? De novo: não estou falando para começar uma terceira guerra mundial, apenas diga a sua opinião sempre que julgar necessário. Explique. Com calma e respeito. Tente ser didática. Entenda que não se muda um pensamento da noite para o dia. Pense nas idades, nos contextos. E se não funcionar, mude o assunto.

 

Devo admitir, no entanto, que eu não sou a pessoa mais serena e pacífica do mundo. Mas eu não me calo. Nunca. Mando ficar quieto, falo que foi machista, mostro como estou incomodada, levanto a voz que tanto tentam me tirar os outros dias do ano. Afinal, se ninguém avisar para esse primo que ele está errado, o filho dele reproduzir o mesmo comportamento. E assim vai. De piadinha em piadinha, criando uma sociedade que objetifica, humilha, explora, oprime e cala tantas pessoas. Eu, como mulher e bissexual, vou levantar bandeiras até mesmo nas festas de fim de ano. Decoradas com o bom velhinho e guirlandas, mas vou. Doa a quem doer. 

 

Não deixe acontecer dentro da sua família o que você repudia na rua.

 

E que em 2017 eu não precise ressuscitar esse texto, que você não precise colocá-lo em prática e que certa pessoa da minha família enxergue seu machismo e homofobia. 

 

Será que existem milagres natalinos?

 

Créditos imagem: Veronica Dearly.

especial-de-natal-

💚 Vem ler mais sobre feminismo 💚

Vamos lutar contra o patriarcado nas redes sociais:

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube

Eu pensei em fazer esse post antes do natal, com dicas de como lidar com comentários machistas, homofóbicos, racistas, gordofóbicos, entre outros. Porém, ao fim deste 25 de dezembro, a única coisa que eu tenho a dizer é: não se cale, nem mesmo nas festas de fim de ano. Eu sei que esse pode não […]

Leia mais



TAGS:








Veja o que acontece por aí