DESCOMPLICANDO O VEGANISMO
RECEITAS VEGANAS
Transição para o veganismo


21 dezembro, 2016

Moana só estreará oficialmente nos cinemas brasileiros dia 5 de janeiro, mas já não faltam motivos para amar essa princesa que chegou quebrando paradigmas.

 

1 – Seja sua própria heroína

motivos para amar moana - sem príncipe

Sem príncipe encantado, sem interesse amoroso, sem casamento. Moana encarará uma missão cheia de aventuras ao lado do semideus Maui para encontrar a sua própria essência. O filme é focado na coragem dessa garota de 16 anos, não na busca pelo amor verdadeiro.  Auli’i Cravalho, que dá voz à personagem, a descreve como “empoderada, que sabe o que quer e não tem medo de realizar seus objetivos”. E ninguém precisa de um príncipe para isso, certo? Aliás, a gente não precisa de um príncipe para n-a-d-i-n-h-a. Go, Elsa! Go, Moana! 

 

2 – Conexão com o mar

motivos para amar moana - mar

A gente sabe que eu tenho uma queda por sereias (já viu os meus 5 motivos para querer ser uma?) e a Moana, apesar de ter pés e não uma cauda, tem uma conexão extremamente forte com a natureza, especificamente a água. É só ver um dos teasers que lançaram dela pequenininha com o mar, é muito amor!

 

3. Um passo para se afastar dos padrões 

motivos para amar moana - padrões

Moana não é loira, de cabelo liso, olhos e pele clara. Ela se parece mais com uma adolescente real, com traços de sua etnia. É claro, é um passo pequeno, mas, ainda assim, importante. O diretor, John Musker, afirmou que não teria sentido criar Moana com pernas e quadris finos se ela mergulharia em penhascos e faria cenas de ação. Mas, caro John, não é só isso que faz uma mulher ter pernas grossas…

 

4. Trilha sonora para ficar na cabeça 

motivos para amar moana 2

Não é preciso de muito esforço para amar as músicas da Disney. E Moana, só pelo trailer, e a primeira música divulgada mostrou que nos dará um repertório digno de cantarolar dias e dias depois de ver o filme. Será que teremos um novo hit para substituir Let It Go? Ok, acho difícil…

 

5. Os melhores mascotes

motivos para amar moana

Depois do Olaf, teremos uma galinha atrapalhada e um porquinho para nos arrancar risos e awns de fofura.

 

Quem aí também está ansioso para assistir Moana: Um Mar de Aventuras? 😊

 

Também estou por aqui: 

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube

Moana só estreará oficialmente nos cinemas brasileiros dia 5 de janeiro, mas já não faltam motivos para amar essa princesa que chegou quebrando paradigmas.   1 – Seja sua própria heroína Sem príncipe encantado, sem interesse amoroso, sem casamento. Moana encarará uma missão cheia de aventuras ao lado do semideus Maui para encontrar a sua […]

Leia mais



TAGS:






17 outubro, 2016

Eu nunca tinha parado para pensar o quão problemático é o discurso de certas mulheres ao afirmarem “tenho mais amigos homens” ou “só sou amiga de homens”. Isso veio a minha mente quando cheguei a conclusão de que amigo homem mesmo, sem ser colega, eu tenho um. E ele é gay. Fiquei incomodada por alguns segundos pensando que eu estava errada em não me aproximar dos caras, que o problema era comigo, mas depois percebi que, na verdade, errado é o receio que as mulheres têm de se relacionar com outras mulheres.

tenho mais amigos homens

No auge dos meus 14 anos, a minha rede de amigos era bem mista, isso porque, dentre algumas das razões, eu ainda reproduzia machismos, logo, tolerava certos comentários, piadas e atitudes. Com o passar do tempo, isso mudou. A vida aconteceu, os meus amigos homens se afastaram e eu me vi cercada de outros caras que eu simplesmente não conseguia criar um vínculo porque eram realmente babacas ou porque a cada três frases, uma eu achava problemática. Talvez eu frequente os lugares errados, talvez eu seja muito introvertida, mas a minha facilidade em fazer amizade com mulheres é infinitamente maior do que com os homens.

 

Luana, isso é uma particularidade sua, tem mulheres que se identificam mais com homens. Sim, tudo bem. Eu também acho que isso pode acontecer. Até porque é uma questão de personalidade, não sexo/gênero. Mas vamos parar para pensar: qual é o argumento para que essas mulheres (ou a sua maioria) digam que se identificam mais com homens? Normalmente, são as clássicas frases que instigam a rivalidade feminina. Mulheres são frescurentas, fofoqueiras, cobras, invejosas, briguentas, falsas, recalcadas etc, etc, etc.

 

Eu nunca tinha parado para pensar o quão problemático é o discurso de certas mulheres ao afirmarem “tenho mais amigos homens” ou “só sou amiga de homens”. Isso veio a minha mente quando cheguei a conclusão de que amigo homem mesmo, sem ser colega, eu tenho um. E ele é gay. Fiquei incomodada por alguns […]

Leia mais



TAGS:






11 agosto, 2016

feminismo não é para agradar homem

Neste ano, eu tomei uma decisão significativa: não falo sobre feminismo com homem. Nenhum. Nunca. Never. E se eu começo, me policio e interrompo a conversa no meio. Só se uma mulher estiver na roda, aí me direciono exclusivamente à ela. Não importa o quão desconstruído você, homem, principalmente, cis hétero, seja, para mim, simplesmente, não vale mais a pena. Capiche? 

 

Nada de bom rendeu em ficar explicando o bê-a-bá do feminismo para opressor. Nada de empoderador surgiu ao rebater críticas, pitacos e argumentos clichês. Nenhum homem que começou uma discussão sobre feminismo comigo estava realmente aberto a escutar e aceitar, me dar voz. Então, agora, eu me abstenho desse esforço, poupo saliva e olhos revirando. Porque, meu amor, meu feminismo não é para homem, não é pelos homens e, consequentemente, meu feminismo não é para agradar homem. Como diria Kelly Key: senta e chora. 

 

No começo, eu tinha essa impressão de que precisava convencer os caras de como o feminismo é legal e que deveríamos dar a mão e lutar juntos pela igualdade (outra ideia que mudou com o tempo, falei mais sobre isso aqui). Era cansativo e desgastante, pois em todas as conversas a conclusão era a mesma: eles não estão dispostos a abrir mão dos privilégios, eles não entendem, eles não querem. Simples assim.

 

Eu pensava que falhei ao não conseguir explicar a ideia do feminismo para os homens ao meu redor. Não queria vestir a capa de vilã, feminazi, mal amada. Eu queria ajudar os caras a serem menos opressores. Doce ilusão. Mais tarde eu descobri que muito mais vale empoderar mulheres do que apresentar o feminismo àqueles que não sofrem com o machismo. Irônico, não? 

 

Neste ano, eu tomei uma decisão significativa: não falo sobre feminismo com homem. Nenhum. Nunca. Never. E se eu começo, me policio e interrompo a conversa no meio. Só se uma mulher estiver na roda, aí me direciono exclusivamente à ela. Não importa o quão desconstruído você, homem, principalmente, cis hétero, seja, para mim, simplesmente, […]

Leia mais



TAGS:








NÃO PERCA AS NOVIDADES, CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER!