DESCOMPLICANDO O VEGANISMO
RECEITAS VEGANAS
Transição para o veganismo


31 dezembro, 2017

2017 acabou. Posso ouvir um amém? Dezembro diz adeus e meu primeiro mês com posts todos os dias igualmente. Esse último post é quase como uma retrospectiva, o meu tchau, 2017. E um olá a todas as surpresas, conquistas, problemas, dores de cabeça e sorrisos que 2018 me reserva.

 

Começando com a contagem regressiva que eu fiz lá no instagram, mostrando os meus melhores momentos de 2017, um ano, aparentemente, tão conturbado. Quando eu parei, porém, para pensar e buscar os bons momentos no rolo da minha câmera notei o quanto uma das minhas frases favoritas faz sentido: é um dia ruim, não uma vida ruim.

 

Os meus melhores momentos de 2017 ❤

Janeiro ➳ Ir à praia com pessoas tão queridas e ainda ver a Anitta de pertinho por R$10, em meio a chuva, pés sujos de lama, tatuagem recém feita e um copo de 1 litro de bebida perdido em vão.

 

Fevereiro ➳ Visitar Campos do Jordão com uma das minhas companhias favoritas da vida e me (re)encantar por essa cidade.

 

Março ➳ Dos rolês que a gente marca sem saber ao certo o motivo, mas é nesses dias que eu tenho a certeza que estou rodeada das melhores pessoas do universo. Vocês são minha família, minha vida ❤

 

Abril ➳ Começar as entrevistas para o TCC e estrear em grande estilo com o Carl Honoré (Carlinhos, nosso brother). Um dia para aprender o quanto é importante desacelerar.

Abril ➳ Ir à praia novamente com mais pessoas queridas e entender que, na verdade, eu nunca estive sozinha.

 

Maio ➳ Abraçar as meninas do Depois das Onze e ainda escutar a Gabie me desejar “boa sorte” com meu ruivo.

 

Maio ➳ Ouvir o Ed cantar Give Me Love pela segunda vez na vida.

 

Junho ➳ Ter a coragem de cortar o cabelo curtinho e me (re)descobrir mais forte.

Julho ➳ Itacaré. Um das viagens mais incríveis que fiz (e farei) na vida, com uma energia que não vou encontrar em nenhum outro lugar.

 

2017 acabou. Posso ouvir um amém? Dezembro diz adeus e meu primeiro mês com posts todos os dias igualmente. Esse último post é quase como uma retrospectiva, o meu tchau, 2017. E um olá a todas as surpresas, conquistas, problemas, dores de cabeça e sorrisos que 2018 me reserva.   Começando com a contagem regressiva […]

Leia mais



TAGS:






12 dezembro, 2017

Quando éramos crianças, a noite de natal se resumia em ser emperiquitado (essa expressão ainda existe?) pelos nossos pais, receber os presentes do papai noel e reencontrar os primos para brincar de esconde-esconde ou banco imobiliário. Acontece que todos nós crescemos e a paciência, por sua vez, ao contrário, diminui. E o natal vira a data em que nos tornamos alvos de comentários constrangedores e piadinhas desnecessárias.

COMO SOBREVIVER AO NATAL

É um fato que a vida em sociedade, às vezes, pode ser uma droga. A convivência familiar, então, nem se fala. Mas, independentemente das nossas diferenças, ainda somos seres sociais, que gostam de uma reuniãozinha para tomar uns bons drinks, cantar no karaokê e conversar, enquanto o cabelo fica com cheiro de churrasco ou a mão melada de pêssego. Nós precisamos uns dos outros. Para muitas coisas, mais do que gostaríamos em alguns casos.

 

Nesse contexto, o natal (sinônimo de reunião familiar), ao mesmo tempo em que é uma época mágica, pode ser uma fonte de estresse se você permitir. Não só por comentários machistas ou homofóbicos, nós já falamos sobre isso aqui e eu sou a favor de levantar bandeiras decoradas com pisca pisca e o bom velinho. Mas também precisamos lembrar que nós temos, assim como os outros ao nosso redor, conflitos pessoais e problemas do dia dia, os quais ninguém quer ficar debatendo na mesa com um tofu recheado (por aqui não tem peru!).

 

Então, esse post surgiu como a parte II do como fazer a diferença (e não ser um babaca) versão natalina. É um guia para te ajudar a não causar discórdia ou desconfortos, assim como não enlouquecer com aquele cunhado insuportável ou precisar ir se isolar na sala para não se sentir menosprezada ou pressionada.

 

Alerta: esse post é uma ótima indireta! 😜

Dicas para sobreviver ao natal

e ficar tão plena quanto esse gatinho!

COMO SOBREVIVER AO NATAL - GATOS

COMO NÃO SER UM BABACA

 

➳ Não faça comentários sobre o peso de ninguém.

➳ Se tal pessoa disse que estava dieta, não seja fiscal do prato alheio. Ninguém precisa da sua permissão para comer o que bem entender.

➳ Já se a pessoa está de dieta, mostre apoio, ao invés de criticar porque nem no natal ela vai ter uma folga. 

➳ Não fique fazendo ceninha de hm, olha como essa linguiça está gostosa na frente de vegetarianos ou veganos como se nós fossemos cachorros. É patético.

➳ Não coma todo o prato que o vegetariano ou vegano trouxe para a ceia. Tenha bom senso, nós temos fome.

➳ Se alguém terminou um relacionamento recentemente, não pergunte, a não ser que a própria pessoa comece o assunto.

➳ Se alguém começou um novo relacionamento e levou a pessoa para a festa de família, não fale do ex ou faça piadinhas que só você acha graça.

➳ Aliás, não pergunte dos namoradinhos ou namoradinhas. Ninguém é obrigado a entrar em um relacionamento para suprir a sua necessidade de fofoca. Além de que esse é um assunto muito delicado para a comunidade LGBT.

➳ Tire a frase isso é mimimi do seu vocabulário. Está proibido falar isso no natal.

Quando éramos crianças, a noite de natal se resumia em ser emperiquitado (essa expressão ainda existe?) pelos nossos pais, receber os presentes do papai noel e reencontrar os primos para brincar de esconde-esconde ou banco imobiliário. Acontece que todos nós crescemos e a paciência, por sua vez, ao contrário, diminui. E o natal vira a […]

Leia mais



TAGS:






30 dezembro, 2016

coisas boas que aconteceram em 2016

2016 não foi um ano fácil, convenhamos. Tanto na vida pessoal de muitos, quanto para o mundo. Dava para sentir essa energia pesada no ar, sério! Afinal, toda semana era um 7×1 diferente. Mas, tentando afastar o lado negativo que esse ano tentou trazer ao máximo à tona, eu separei 50 coisas boas que aconteceram em 2016. Não comigo e, sim, no geral. Foi difícil? Sim, foi bastante. Como foi. Passei quase duas semana tentando relembrar qualquer coisa, sério, qualquer coisinha incrível que aconteceu nestes 365 dias caóticos. Por isso, teremos nessa lista séries, músicas, muito Razões Para Acreditar, filmes e até Anitta. Por que não precisa ser algo gigantesco para marcar de uma forma boa, certo?

 

Eu espero que em 2017 eu não tenha dificuldade em listar momentos bons que aconteceram e espero que ao final do post você pense é, realmente, 2016 não foi de todos os males o pior. É assim o ditado? Não sei, não importa, vocês entenderam, então, vamos aos pontinhos de cor e amor que esse ano nos deixou 💜

 

➳ Uma adolescente de 12 anos criou um aplicativo para ajudar a avó com Alzheimer

➳ O lacre da Rafaela Silva nas Olimpíadas

➳ A Cerimônia de Abertura das Olimpíadas no geral

➳ Vai ter curta-metragem LGBT, sim!

Work, work, work!

➳ Eduardo Cunha foi preso

➳ Medo Bobo, 10%, 50 reais…

➳ O Pedro pediu água de aniversário e distribuiu 14 mil litros no sertão do Ceará

➳ Stranger Things abalou a internet

coisas boas que aconteceram em 2016

➳ E aí veio The OA para confundir ainda mais nosso cérebro

Ganhamos uma heroína: Jessica Jones

➳ Vai, não se esconde, vem pro sapabonde!

Okay, ladies, now let’s get in formation

➳ Ana Paula Padrão falando de feminismo para os macho no reencontro do MasterChef Profissional

 

 

➳ Sempre tem um tatuador mara aqui ou ali

➳ Nasceu o Baby Henrique

➳ E o Fernando e a Nina, em um parto domiciliar de arrepiar

2016 não foi um ano fácil, convenhamos. Tanto na vida pessoal de muitos, quanto para o mundo. Dava para sentir essa energia pesada no ar, sério! Afinal, toda semana era um 7×1 diferente. Mas, tentando afastar o lado negativo que esse ano tentou trazer ao máximo à tona, eu separei 50 coisas boas que aconteceram em […]

Leia mais



TAGS:








NÃO PERCA AS NOVIDADES, CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER!