DESCOMPLICANDO O VEGANISMO
RECEITAS VEGANAS
Transição para o veganismo


14 junho, 2018

A temperatura diminui e não me restam dúvidas: meu coração pertence ao verão. Ao calor, vestidinhos frescos, água de coco e céu azul. Me desculpem os fãs de sobretudo e cachecóis, mas não podemos nos esquecer que o frio é cruel com aqueles que não conseguem se proteger dos seus ventos gelados. Não tem nada de glamouroso em passar a noite na rua quando o termômetro marca 12 ºC, ou, então, ver animais abandonados falecerem por não encontrarem abrigo. Quando chega o frio, é hora de tirar o casaco e a solidariedade do armário.

COMO SER SOLIDÁRIO NO FRIO - DOAÇÕES (1)

Um ato generoso aquece o seu coração e os dias daqueles que não podem recorrer às cobertas, chocolate quente e aquecedor. Compartilhei abaixo algumas atitudes que podemos tomar para transformar esse inverno em uma época acolhedora para todos!

 

Como ser solidário no frio?

 

Doe peças que não usa mais

 

Chegou o momento de desapegar. Sabe aquele casaco que você comprou na promoção, mas não tem nada a ver com você? Ou, então, aquela calça jeans que está muito apertada? Pois bem. Desapegue. Deixe o seu armário mais leve e o inverno de alguém mais quente.

 

Ao fazer essa limpeza no armário, considere tudo: cobertores, meias, pijamas, luvas, calçados, entre outras peças. Coloque-se no lugar de quem vai receber a doação. Tenha uma postura de comprometimento e respeito diante do outro. Seu apego aos bens materiais não deve se sobrepor a uma necessidade real de sobrevivência.

 

Distribua marmitas quentinhas

 

Fome + frio não é uma equação agradável, certo? Mas é isso o que acontece com muitas das pessoas em situação de vulnerabilidade social. As dificuldades do dia a dia, em conseguir um banho, um lugar para dormir e um prato de comida, se agravam quando cai a temperatura.

 

Tire um dia na semana para cozinhar uma grande quantidade de comida. Prefira alimentos que sustentem bastante, como, por exemplo, uma sopa a base de carboidratos com batata, mandioca e macarrão. Distribua a quantidade em marmitinhas e entregue aos moradores de rua. Lembre-se, porém, de manter a empatia. Inicie um diálogo, pergunte o nome da pessoa, a idade e, principalmente, se ela aceita. Se a resposta for negativa, não force.

 

O ser humano à sua frente tem uma história e é preciso respeitá-la. O altruísmo não exige nada em troca. Por isso, não queira se colocar em um pedestal ou fique brava por não ouvir um obrigado. Criar essa corrente do bem não é em prol do seu ego e, sim, em prol do outro.

 

Crie sua própria campanha do agasalho

 

Faça isso na sua empresa, escola, bairro, farmácia, igreja, mercado ou seja lá qual for o lugar em que trabalha ou frequenta. Separe uma caixa grande de papelão, prepare alguns panfletos e avise por aí que está recolhendo doações.

 

Tome a iniciativa! Não espere que façam por você. Ser solidário no frio, no outono, no verão ou primavera só depende de você. 

 

Compre uma roupinha para animais abandonados

COMO SER SOLIDÁRIO NO FRIO - ANIMAIS (1)

Não são só os humanos que sofrem no inverno. Imagine como é ser um cachorro ou gato abandonado vagando pelas ruas de uma cidade fria. Assim como com moradores de rua, você pode deixar em pontos estratégicos potinhos com água e ração para esses animais. Ou, então, andar com uma bolacha extra na bolsa!

 

Além disso, comprar uma roupinha também é uma ótima forma de diminuir o sofrimento desses bichinhos. Se você é costureira, coloque a mão na massa e crie agasalhos especiais para os gatinhos ou cachorros. Mas cuidado! Antes de vestir o animal, certifique-se de que ele não é bravo e não se esqueça o quanto ele precisa de carinho. 

 

Apesar de existirem pessoas más intencionadas, dê preferência às roupinhas com zíper ou velcro. Assim, quando o animal sentir calor, será mais fácil de tirá-las.

 

Operação Baixas Temperaturas

 

Foi essa campanha da prefeitura de São Paulo que me incentivou a escrever este post. Vi um cartaz em um ônibus e, imediatamente, anotei o número para não esquecer.

 

Quando a temperatura estiver abaixo ou igual a 13 ºC, você pode ligar para número 156 e informar onde viu uma pessoa em situação de risco. Agentes irão até o local e oferecerão acolhimento para essa pessoa. São cerca de 400 profissionais trabalhando exclusivamente nessa abordagem nas ruas.

 

A prefeitura e o governo de São Paulo pecaram muito nos últimos anos, mas, como essa ação existe, é importante cobrar para que seja colocada em prática.

 

Olhe se na sua cidade não há algo parecido! O estado deve assumir a responsabilidade para garantir que todos tenham seus direitos assegurados, principalmente, em épocas como no inverno.

 

Viu só como ser solidário no frio não é tão difícil? Se envolva com o próximo e assuma sua parcela de responsabilidade. Por fim, pratique, acima de tudo, o amor, porque ele, sim, além dos cobertores, pode nos aquecer nesse inverno ❤

 

❄ Outros posts que você pode gostar ❄

 

10 dicas para reduzir a produção de lixo no dia a dia

Como ter sororidade em 10 passos

7 vezes que o feminismo me ajudou

Verdades sobre o veganismo que ninguém te conta

Ei, se liga, você é um babaca com boas referências

Como fazer compras mais conscientes? 

Técnicas de organização para testar

Eu não quero uma amiga para todas as horas

 

Vem passear na categoria Experiências ❤

Também estou aqui:

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube

COMO SER SOLIDÁRIO NO FRIO - ANIMAIS (1)

A temperatura diminui e não me restam dúvidas: meu coração pertence ao verão. Ao calor, vestidinhos frescos, água de coco e céu azul. Me desculpem os fãs de sobretudo e cachecóis, mas não podemos nos esquecer que o frio é cruel com aqueles que não conseguem se proteger dos seus ventos gelados. Não tem nada […]

Leia mais



TAGS:






6 julho, 2017

Julho chegou e com ele, além do frio (saudades calor!), as férias, tão esperadas, tão sonhadas. Quer dizer, ao menos, para alguns de nós.

 

Mas o que fazer nas férias de julho? Eis a questão que, nesse post, vou solucionar. Para que esse mês e seu descanso não sejam em vão, separei um evento gratuito por dia em São Paulo, a partir de amanhã (07/07) até o último suspiro do mês, dia 31.

 

Então, se agasalhe bem, deixa o Netflix para depois e vem descobrir um mundo de coisas bacanas para se fazer por aí  — sem gastar um tostão!  

O QUE FAZER NAS FÉRIAS DE JULHO

➳ 07/07 – Festa Julina com forró ao vivo na Vila Madalena.

➳ 08/07 – Encontro – Espetáculo teatral com “pequenos objetos, pequeno cenário, palco reduzido a uma estrutura mínima, gestos sutis, histórias curtas, tudo isso transmitido a uma distância mínima do espectador”. Das 13h às 14h30 no Sesc Pq. Dom Pedro II.

➳ 09/07 – 12º edição do Conexão Cultural São Paulo – Evento que irá, nesta edição, homenagear e celebrar a cultura nordestina. Das 12h às 21h, no MIS.

➳ 10/07 – Vida de Cão Exposição de Elliott Erwitt com 50 belas fotografias para mostrar e propor a reflexão da relação entre o homem e o seu bichinho de estimação. No Centro Cultural Fiesp, das 10h às 20h.

➳ 11/07 – Ópera no cinema – A Biblioteca Mário de Andrade traz uma ópera diferente para a tela do cinema e no dia 11 será uma das grandes obras de Mozart: “Don Giovanni”. Das 19h às 21h45 na própria Biblioteca.

➳ 12/07 – Meditação no Ibirapuera – Aproveite esse momento de paz que acontece todas às quartas-feiras às 11h na sede do DEA|UMAPAZ, no Parque Ibirapuera.

➳ 13/07 – Oficina l Cozinha de Memórias – “Convidará os participantes a refletirem a respeito da memória e da culinária como patrimônios imateriais, além de compartilharem receitas antigas de seus familiares”. Acontecerá na Casa das Rosas, das 14h às 16h.

➳ 14/07 – Cellos do Festival – Concerto gratuito na Sala São Paulo às 19h.

➳ 15/07 – Festival das Estrelas – O bairro da Liberdade, nesse evento, recebe kussudamas, grandes ramos de bambu ornamentados por enfeites de papel colorido, tanzaku, pequenos pedaços de papel, nos quais as pessoas colocam seus pedidos, além de apresentações de tambores Taikô, danças folclóricas e shows. Visite o bairro das 10h30 às 19h.

O QUE FAZER NAS FÉRIAS DE JULHO

Julho chegou e com ele, além do frio (saudades calor!), as férias, tão esperadas, tão sonhadas. Quer dizer, ao menos, para alguns de nós.   Mas o que fazer nas férias de julho? Eis a questão que, nesse post, vou solucionar. Para que esse mês e seu descanso não sejam em vão, separei um evento […]

Leia mais



TAGS:






2 março, 2017

Não sou uma pessoa do carnaval. Não gosto de multidões bêbadas, gritando e poluindo o ar, a rua, o mar com seus quilos de glitter. Até aprecio uma boa fantasia, mas longe de mim ser amassada, assediada e passar calor em bloquinhos em que mal consigo ouvir as músicas. Tudo isso para dizer que, na semana do carnaval, eu tento ao máximo me afastar das concentrações de folia. Como uma das minhas metas para 2017 é viajar o máximo que der, eu e minha namorada decidimos passar um dia em Campos do Jordão, nada a ver com carnaval, São Paulo, calor, bloquinhos, amém. E, sim, muito chocolate (que me frustrou, mas daqui a pouco explico o porquê), casas fofinhas e flores.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - ENTRADA

Nós fomos com a Alternativo, uma agência de viagem independente. Não pesquisei outras, porque uma das minhas amigas do técnico (já contei como é ser vegana cursando nutrição aqui!) foi na mesma mini viagem e adorou. Confiei na experiência dela e fechei para o dia 25 de fevereiro. O valor total foi 125 para cada, com ida e volta, passeios e almoço. Mas pelo que olhei por cima, os valores são todos parecidos nesses bate e volta para Campos.

 

Gostei muito da Alternativo, eles são super pontuais e atenciosos. Chegamos atrasados graças ao carnaval (pois é), mas o restante deu tudo certo. Eles combinaram de sair 6h30 da Barra Funda e 6h31 nós estávamos saindo. Teve sorteios no decorrer do dia, o Nathan, nosso guia, era ótimo, eles tentaram resolver os problemas que apareceram prontamente e não tiravam o sorriso do rosto. Ah, uma coisa  importante é que eu me senti bem segura no ônibus, algo que, normalmente, não acontece, já que tenho pavor de estrada. O motorista contratado, porém, era cuidadoso, não correu, não fez coisas loucas e eu consegui dormir 80% do caminho, de quase 3h30. Recomendo.

 

Manhã na Suíça Brasileira

 

Nossa primeira parada foi na Ducha de Prata, um dos pontos turísticos mais conhecidos. São algumas duchas artificiais no meio da natureza, com águas do represamento Ribeirão das Perdizes. Normalmente, se pode tomar um banho nas plataformas de madeira, mas no dia em que fomos essa parte estava em reforma, além do frio, vamos combinar. É um lugar bem gostoso para ouvir o barulhinho da água, sentir o cheiro da natureza e tirar uma fotos.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA 3 UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA 4 UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA 2 UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA

Dica: o banheiro do estacionamento é pago, enquanto um atrás das lojinhas é gratuito. Essas lojinhas também costumam ser mais caras que as do centro, pois isso espere um pouquinho antes de levar um souvenir para casa.

 

Subindo e descendo da Ducha de Prata, passamos pelo Alto das Mansões, bairros distantes e cheios de casas luxuosas. Tem casa de 10 milhões de reais, da Christiane Torloni com uma mini mansão para o cachorro e até do Bispo Edir Macedo. É lindo de ser, assustador de se pensar o quando algumas pessoas tem muito, mas muito dinheiro.

 

Não sou uma pessoa do carnaval. Não gosto de multidões bêbadas, gritando e poluindo o ar, a rua, o mar com seus quilos de glitter. Até aprecio uma boa fantasia, mas longe de mim ser amassada, assediada e passar calor em bloquinhos em que mal consigo ouvir as músicas. Tudo isso para dizer que, na […]

Leia mais



TAGS:








NÃO PERCA AS NOVIDADES, CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER!