9 Fevereiro, 2018

Carnaval não é para mim. A ideia de milhares de pessoas no mesmo lugar, suando, bêbadas, gritando e homens se achando ainda mais donos dos nossos corpos me dá calafrios. Sem contar o metrô ainda mais lotado que o normal. Amo glitter, Pablo Vittar, pessoas animadas, fantasias e babys carnavalescos, mas prefiro o conforto da minha cama, minha lista no netflix ou lugares como os que eu listarei aqui para quem deseja saber onde passar o carnaval tranquilo em SP.

 

A ideia, então, é ficar longe de locais como Vila Madalena e Avenida Paulista. Tentei fugir dos clássicos ficar em casa, comer pipoca e ver 5 filmes por dia. Afinal, também existem espaços para você que, assim como eu, quer aproveitar o feriado, mas em um ritmo diferente dos bloquinhos.

 

Onde passar o carnaval tranquilo?

Bate e volta em cidades próximas a São Paulo

Pinhalzinho, Amparo, Holambra, Itu, Embu das Artes, Monte Alegre do Sul ou Campos do Jordão. Escolha um destino nos arredores da cidade de São Paulo, pegue o carro e fuja do casa comigo, sereianos ou minhoqueens. 

 

Cada cidadezinha tem o seu encanto, bons restaurantes e o ar de tranquilidade que queremos. Dá para entrar em contato com a natureza ou apenas conhecer mais da história com as simpáticas construções e museus.

 

Se você não tem um carro, veja se agências de turismo não estão organizando um bate e volta nas datas do carnaval. Jogue o nome da cidade na procura dos eventos no facebook! 

 

Olha só esse post com dicas do que fazer em um dia em Campos do Jordão!

 

Confira a programação do Sesc

 

O Sesc sempre tem várias palestras, cursos e workshops legais. Dê uma olhada no que estará rolando no Sesc mais próximo da sua casa. E, o melhor, na maioria dos casos, as atrações são gratuitas. Tem teatro, música, dança, circo, atividades envolvendo alimentação, meio ambiente, saúde, entre outros temas.

 

CONTINUE LENDO ♥

Carnaval não é para mim. A ideia de milhares de pessoas no mesmo lugar, suando, bêbadas, gritando e homens se achando ainda mais donos dos nossos corpos me dá calafrios. Sem contar o metrô ainda mais lotado que o normal. Amo glitter, Pablo Vittar, pessoas animadas, fantasias e babys carnavalescos, mas prefiro o conforto da […]

Leia mais



TAGS:






3 Janeiro, 2018

Quem acompanha desde o início essa saga de posts todos os dias em dezembro, viu no 31 coisas para fazer em 31 dias, que um dos meus desejos neste mês era doar sangue pela primeira vez. Essa, no entanto, é uma vontade antiga, mas algo sempre me impedia. Primeiro, a idade. Depois, o peso. Nos últimos anos, as tatuagens. Então, em 2017,, antes de enfrentar as agulhas para o quinto desenho na pele, decidi ir até um posto de coleta e, enfim, doar sangue pela primeira vez. 

DOAR SANGUE PELA PRIMEIRA VEZ COLSAN

Como é doar sangue pela primeira vez?

1º A escolha do posto de coleta

 

Muito cuidado com o Google nessa hora, pois muitos dos lugares estão desatualizados. Eu fui em dois na região da Vila Mariana e Santa Cruz (Hospital Albert Einstein e Hospital Santa Cruz) e ambos não faziam mais ou nunca fizeram a coleta. Para se sentir mais segura, pesquise opiniões, veja se conhecer o hospital, procure imagens, o que precisar.

 

Eu fui no Colsan, Associação Beneficente de Coleta de Sangue, do Tatuapé. Eles tem outras unidades espalhadas por São Paulo, as quais você consegue ver no site. Para mais postos de coleta pela cidade, clique aqui.

 

2º Cuidados antes de doar

 

Muita gente acha que você precisa ir doar sangue em jejum, mas, pelo contrário, é importante ter se alimentado antes, evitando apenas alimentos gordurosos 3 horas antes. Além disso, existem outros cuidados como não ter ingerido álcool nas 12 horas anteriores ou algumas medicações específicas, ter dormido bem e estar, no geral em boas condições de saúde. Pesquise bem sobre os critérios de inclusão e exclusão.

 

3º Na recepção, pré-triagem e triagem clínica

DOAR SANGUE PELA PRIMEIRA VEZ ENTRVISTA

Vou contar aqui como foi no Colsan, mas os processos podem ser diferentes em outros lugares. Primeiro, passei minhas informações pessoais para a recepcionista, que me encaminhou para a pré-triagem. Lá, me pesaram, conferiram meu pulso, pressão, febre, altura e fizeram um teste de anemia com uma picadinha no dedo que “doeu” mais do que a própria doação de sangue.

 

Depois, fui encaminhada para a entrevista que dura cerca de 5 minutos. São várias perguntas, dentre elas: dormiu bem? Toma alguma medicação? Tem diabetes? Fez alguma extração dentária? Tem filhos? Tem piercing ou tatuagens? E por aí vai. Estando de acordo com todos os critérios, você vai para a sala de coleta.

 

CONTINUE LENDO ♥

Quem acompanha desde o início essa saga de posts todos os dias em dezembro, viu no 31 coisas para fazer em 31 dias, que um dos meus desejos neste mês era doar sangue pela primeira vez. Essa, no entanto, é uma vontade antiga, mas algo sempre me impedia. Primeiro, a idade. Depois, o peso. Nos […]

Leia mais



TAGS:






9 dezembro, 2017

Confesso: sou uma defensora da uva passa e frutas cristalizadas. No arroz, no bolo, na granola e onde mais ela quiser entrar. Manda mais uva passa que está pouco! Consequentemente, também sou uma amante do panetone, esse pãozinho (ou bolinho?) tão tradicional do Natal. Eu vejo as caixinhas no mercado lá em novembro e começo a ficar animada, lembrando que a minha época favorita do ano vem aí.

 

O chocotone é um plus, completando o combo panetone e amor. Os trufados, recheados ou com casquinhas crocante não são os meus favoritos. Sujar os dedos com o tradicional feito de gotinhas de chocolate, no entanto, é uma delícia, convenhamos.

Mas temos um problema para veganos amantes de natal como eu: não é tão fácil de encontrar chocotones e panetones sem crueldade animal. Ok, tudo bem, estamos acostumados. Ninguém disse que ser vegano seria mamão com açúcar.

 

Para facilitar e mostrar que é possível ter um natal vegano com todas as tradições, cá estou eu com esse post, que é mais um dos especiais de natal completando a série do “onde encontrar X vegano em São Paulo?”. O primeiro foi sobre salgadinhos e o segundo ovos de páscoa.

 

Como no ano passado eu cometi o erro de não encomendar nenhum panetone ou chocotone vegano, em 2017 resolvi fazer diferente. Vai ter dedos sujos de chocotone com amêndoas esse natal, sim senhora! (como é difícil eu comer doces veganos, vou aproveitar!) 

 

Onde comprar panetone e chocotone vegano em São Paulo?

 

Comidices🎄

Sem glúten, sem leite, sem ovo e sem açúcar refinado, com chocolate belga 70%.

 

Recheios: chocolate e amêndoas, maracujá e chocolate, paçoca e brigadeiro e brigadeiro.

Mini 180g ➳ R$15

Grande 700g ➳ R$50

 

Eu comi o de chocolate e amêndoas e apesar de ser MUITO gostoso (nada de gosto de soja, coco forte ou o famoso nada), ele é beeeem molinho. Seria melhor se viesse em um potinho, ao invés da embalagem tradicional do chocotone.

 

 Guna Vegan🎄

➳ Chocotone de Ganache

180g – R$18,50

480g – R$49

 

➳ Panetone de doce de leite com coco

180g – R$18,50

480g – R$49

 

➳ Panetone de frutas secas, nozes e amêndoas

150g – R$16

400g – R$42

 

Ateliê VIPE🎄

➳ Panetone com frutas

450g – R$18

900g – R$32

 

➳ Panetone com pedaços de goiabada

450g – R$16

900g – R$30

 

➳ Panetone com gotas de chocolate

450g – R$20

900g – R$34

 

➳ Naked Tone (700g), camadas de panetone de chocolate com recheio de cajuzinho, brigadeiro ou creme de baunilha – R$45

 

CONTINUE LENDO ♥

Confesso: sou uma defensora da uva passa e frutas cristalizadas. No arroz, no bolo, na granola e onde mais ela quiser entrar. Manda mais uva passa que está pouco! Consequentemente, também sou uma amante do panetone, esse pãozinho (ou bolinho?) tão tradicional do Natal. Eu vejo as caixinhas no mercado lá em novembro e começo […]

Leia mais



TAGS:








Veja o que acontece por aí