DESCOMPLICANDO O VEGANISMO
RECEITAS VEGANAS
Transição para o veganismo


4 janeiro, 2019

Quando pulamos 7 ondinhas à meia noite, desejamos paz, amor e saúde. Então, voltamos para casa e acordamos no dia seguinte para uma comemoração regada à churrasco e picanha. Como torcer pela vida no ano que se inicia se boa parte de nossos hábitos financiam morte? Como seguir perpetuando costumes que nada vão de encontro aos nossos desejos para o mundo? Até mesmo Anitta decidiu abrir os olhos em 2019, talvez, essa também seja sua hora de virar vegano 

quero virar vegano em 2019

Se diminuir o consumo de carne, fazer a transição para o vegetarianismo ou virar vegano são algumas das suas metas para o novo ano, quero que saiba, logo de antemão, que não será fácil, mas você não está sozinha nessa. Sei bem como é essa sensação de querer fazer algo e, ao mesmo tempo, se sentir atraída pelos velhos costumes, bem mais fáceis, bem mais cômodos.

 

Ao questionar nosso estilo de vida, ganhamos de brinde alguns sentimentos confusos, como o medo de fracassar, a urgência em querer que todos saibam a verdade e o alívio em, finalmente, dar o primeiro passo. Mas para que esse primeiro passo seja o início de uma longa caminhada é preciso ter muita certeza. E essa é minha primeira dica para quem deseja se tornar vegano em 2019.

 

Conheça os seus porquês

 

Por quê? Essa é a pergunta que mais vão te fazer quando você chegar em um lugar e falar que não está comendo carne ou dizer, não, nem mel. Qual é, então, o seu por quê?

 

Sentir firmeza na minha escolha foi o que me ajudou a enfrentar as dificuldades que surgiram no caminho. É claro que é muito mais fácil recorrer à manteiga do que descobrir novos sabores para passar no pão. É claro que é muito mais simples comprar o mesmo rímel, o mesmo detergente, ir as mesmas lojas do que pesquisar alternativas. Mas toda vez que eu me via diante de uma situação dessas, eu lembrava mentalmente os meus porquês.

 

Porque eu não quero contribuir com nenhuma forma de sofrimento nessa terra. Porque toda vida merece respeito. Porque toda vida importa. Porque meu corpo é um jardim, não um cemitério. Porque os animais sentem. Porque eu não preciso de nada de origem animal para ser saudável e feliz. Porque um boi, um porco e 180 frangos morrem por segundo só no Brasil e esses animais merecem amor, não um destino cruel.

 

Nessa dica, também está incluso fazer uma boa pesquisa sobre o que é veganismo, como ele pode ajudar o planeta, porque é uma escolha mais sustentável, como impacta na sua saúde, quais são as substituições na alimentação e todas aquelas outras dúvidas que são comuns e, sim, compreensíveis. Por mais que algumas pessoas perguntem em tom de deboche, trate todos igualmente com paciência e de forma didática. Rebater ironia e arrogância com compreensão e carinho é sempre a melhor resposta possível.

 

Inclusive, uma ideia: que tal uma série de posts rebatendo os principais argumentos contra o veganismo?Se você gosta da ideia, comente aqui embaixo para mim, sim?

 

Tendo, então, plena certeza dos seus motivos para se tornar vegano ou vegetariano, é a hora de partir para ação e para não dar nenhum passo em falso…

 

Recorra a profissionais confiáveis

 

Em especial, uma nutricionista. Faça exames de sangue e leve a um profissional que entende de vegetarianismo e veganismo. Porque, acredite, nada é mais desanimador do que buscar ajuda e escutar mas, pelo menos, ovo você tem que comer todos os dias. Não precisa ser um profissional vegano, mas que, ao menos, seja alguém pronto para atender esse público sem preconceitos e ideias equivocadas.

 

Se você não tem como bancar uma nutricionista agora, procure livros e perfis que compartilhem informação confiável nas redes sociais. Eu sempre indico duas maravilhosas, a Rafaela Mold e a Priscilla Mazza. O Dr. Eric Slywitch também é uma ótima fonte para quem quer virar vegano, tem livro, tem canal no youtube, tem blog…

 

O que não falta, atualmente, é informação de qualidade. Em 30 minutos no Scholar Google, você encontra diversos artigos científicos sobre os benefícios do veganismo e no próprio Netflix há disponível uma série documentários legais sobre o tema – por mais que muitos deles exijam um olhar crítico na hora de assistir.

 

Uma dica extra é, em meio a esses profissionais, buscar inspirações práticas. Encontrar perfis que conversem com sua realidade e mostrem, de forma simples, como é possível mudar o seu estilo de vida e virar vegano mesmo trabalhando e estudando, morando no interior ou sendo de uma família 0% vegana. Se a sua vibe não tem nada a ver com bowls coloridos, semente de linhaça e acordar às 5h para fazer yoga, procure veganos arroz com feijão, que falem sobre outros assuntos além dessa realidade zen que, na verdade, não é o objetivo do veganismo.

 

Você pode ir lá no meu instagram e jogar nos meus seguidores a palavra “vegan” ou, então, buscar por hashtags como #sejavegano, #veganismoacessivel, #mulheresveganas e #veganosbrasil. Mais do que palavras de incentivo e conforto, a maioria dos perfis tem várias comidinhas deliciosas e indicações bacanas de lugares para conhecer.

 

Seja gentil com você

 

A dica final, talvez, seja a mais importante: ser gentil e paciente consigo mesmo. No começo, ao virar vegano, é normal querer mudar o mundo. Você passa a olhar com outros olhos o cardápio dos restaurantes, os cosméticos nas prateleiras e a sessão de carne do supermercado. Aquilo deixa de ser normal, deixa de ser certo, e passa a incomodar. Passa a dar uma coceirinha na consciência e, por mais que você esteja fazendo o possível, sempre há o ímpeto por fazer mais.

 

Mas todos nós temos limitações. Todos temos um tempo. Respeitar seu momento atual é essencial para que essa transição seja mais leve e acolhedora. Eu não tenho como dar vida aquele frango congelado. Você não tem como impedir que as pessoas peçam omelete ao seu lado na padaria. Não existe lâmpada mágica para acabar com a exploração animal. Existe, sim, fazer escolhas mais conscientes, éticas e amorosas.

virar vegano, por onde começar

E é justamente por ter aberto os olhos (e o ) que qualquer desvio nesse caminho causa tanta frustração. Desde comer algo sem querer até comprar um shampoo sem saber se era vegano ou não. Desde comer um pedaço de queijo em uma manhã difícil até continuar usando aquele blush testado em animais que estava na gaveta.

 

O que eu quero que você entenda é que está tudo bem. Essa não é uma competição para ver quem é mais protetor dos animais. Virar vegano não significa uma busca pela perfeição. Todos nós estamos tentando fazer algo pelos animais, cada um a sua maneira. Não existe jeito certo de fazer a transição para o veganismo. É normal se equivocar sobre as marcas, ter dúvidas, comer algo sem querer (ou por querer) e, às vezes, dar um passo para trás.

 

O que não pode acontecer é deixar essa culpa tomar conta de você. É sentir que você não está fazendo o suficiente, porque você está. Nesse momento, nas suas atuais circunstâncias, você está. Essa frustração não pode acabar com a sua vontade de mudar, com a sua vontade de seguir impactando positivamente. Com o tempo, o caminho deixa de ser íngreme, cheio de pedrinhas, e se torna uma reta com uma vista pra lá de espetacular. Confia.

 

Se você quer virar vegano ou vegetariano em 2019, o meu muito obrigada. Muito obrigada por tomar essa decisão altruísta de mudar a sua rotina e abrir mão de coisas que você gosta pela vida dos animais. Muito obrigada por ser mais uma pessoa pensando em como podemos tornar o mundo um lugar mais. Muito obrigada por dar voz a quem precisa e ainda mais força ao veganismo.

 

No que eu puder ajudar nessa decisão de virar vegano, estou aqui. Mande uma mensagem, um e-mail ou um inbox. E que, em 2019, a compaixão, enfim, alcance todas as formas de vida.

 

 Outros posts que você pode gostar 

 

Minha transição para o veganismo

Como saber se um produto é vegano ou não?

Verdades sobre o veganismo que ninguém te conta

Substituições veganas: como substituir o ovo?

Minha tatuagem sobre veganismo

Corretivo vegano da Dona Orgânica

Eu não quero uma amiga para todas as horas

 

Vem passear na categoria Vida Verde ou na tag veganismo 💓

Também estou aqui:

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube

quero virar vegano em 2019

Quando pulamos 7 ondinhas à meia noite, desejamos paz, amor e saúde. Então, voltamos para casa e acordamos no dia seguinte para uma comemoração regada à churrasco e picanha. Como torcer pela vida no ano que se inicia se boa parte de nossos hábitos financiam morte? Como seguir perpetuando costumes que nada vão de encontro […]

Leia mais



TAGS:






29 dezembro, 2017

Não, eu não vou fazer as pazes o ovo. Eu não preciso dele, nem você. O ovo não foi feito para ser fruto de exploração e depois virar omelete, ele faz parte do ciclo de vida da galinha, que, olha só, não nos pertence. Nesse post, vamos conversar sobre como substituir o ovo em uma dieta vegana, tanto em relação aos nutrientes quanto a sua função nas receitas.

 

Por que eu não como ovo? 🍳

COMO SUBSTITUIR O OVO

Você pode se perguntar: o que há de errado em comer ovos? A própria indústria de ovos, eu te respondo. Indústria que mói pintinhos machos vivos, privam as galinhas de alimento e cortam seus bicos, as mantendo em espaços menores do que uma folha de papel. Indústria que expõe esse animal a doenças e reduz sua vida para depois transformá-lo em comida processada e enlatada.

 

Galinha feliz é galinha livre. E ela não será livre enquanto você desejar ovos mexidos no café da manhã e ovo frito no almoço. 

 

Tanto pelo aspecto nutricional quanto culinário, ovos são totalmente substituíveis. Então, por que eu vou financiar uma indústria de violência, injustiça e morte?

 

Como substituir o ovo nutricionalmente?

COMO SUBSTITUIR O OVO NUTRICIONALMENTE

Nós vamos analisar os principais nutrientes dos ovos e encontrar substitutos vegetais para cada, tudo bem? Lembrando que todos os valores referem-se a 100 gramas do alimento e são da Tabela de Composição de Alimentos, da Sônia Tucunduva. Vamos lá.

 

Proteína (12,5g) ➵ Tem um post todinho dedicado às proteínas vegetais no blog, mas um grãomelete com grão de bico (8,87g) ou tofu (6,6g) mexido vai muito bem.

 

Lipídio (10g) ➵ Você pode substituir o ovo por gorduras boas sem colesterol, como óleo de coco, abacate e azeite de oliva. Beeeem mais saudável! 

 

Carboidrato (1,23g) ➵ Ovo não é fonte de carboidrato, então seu pãozinho francês, sua batatinha assada e seu macarrão integral bastam, viu?

 

Vitamina A (191RE) ➵ A cenoura crua ganha de lavada com 2813RE, assim como o espinafre cozido com 819RE.

 

Vitamina D (1,3gmcg) Bota a cara no sol, mana! ☀

 

Ácido Fólico (B9) (47mcg) ➵ Que tal umas lentilhas cozidas (181mcg) ou beterraba cozida (80mcg)?

 

Vitamina E (0,84mg) ➵ Coloque umas sementes de abóbora sem sal (3,91mg) na sua salada de agrião (1mg) e repolho branco (1,67mg).

 

Vitamina B1 (0,06mg) ➵ Substitua por amendoim com pele cru (0,68mg) e seu arrozinho branco cozido (0,183mg) de todo dia.

 

Vitamina B12 (1mcg) ➵ Opte por alimentos veganos enriquecidos, como leite de amêndoas da Silk e So Delicious ou 1 colher de sobremesa de nutricional yeast que tem 2,4mcg.

 

Vitamina B2 (0,51mg) ➵ Melhor incluir farelo de trigo (0,58mg) ou tomate seco (0,49mg).

 

Vitamina B6 (0,14mg) ➵ Abençoada seja a banana nanica (0,58mg), melancia (0,14mg) e a batata doce cozida (0,24mg).  

 

Cálcio (49mg) ➵ Também tem um post dedicado inteirinho ao cálcio, mas alguns dicas: semente de linhaça e amêndoas torradas.

 

Magnésio (10mg) ➵ Se você não é do time da uva passa (33mg), pode optar por vagem cozida (25mg).

 

Potássio (121mg) ➵ Almoce um prato com abóbora moranga cozida (231,069mg) e coma de sobremesa uma pera (125mg).

 

Fósforo (178mg) ➵ Prefira soja cozida (245mg) e os grãos de feijão cozidos (114mg).

 

Selênio (30,8mcg) ➵ Ovinho, você não está com nada quando a gente fala sobre selêinio, porque 100g de castanha do pará sem sal têm 2960mcg.

 

Zinco (1,11mg) ➵ Você pode incluir umas amêndoas (2,93mg) e ervilhas frescas (1,25).

 

Ferro (1,44mg) ➵ Olha só, mais um post completinho dedicado ao ferro, mas vale incluir os talos do brócolis e melaço de cana na sua alimentação.

 

Como substituir o ovo nas receitas?

COMO SUBSTITUIR O OVO NAS RECEITAS

Nessa parte, conto com a ajuda de alguns posts como esse guia do Wikihow, o blog da Dani Noce e o AtletaVeg. As substituições listadas abaixo equivalem a um ovo:

 

Não, eu não vou fazer as pazes o ovo. Eu não preciso dele, nem você. O ovo não foi feito para ser fruto de exploração e depois virar omelete, ele faz parte do ciclo de vida da galinha, que, olha só, não nos pertence. Nesse post, vamos conversar sobre como substituir o ovo em uma […]

Leia mais



TAGS:






26 dezembro, 2017

Quando eu cortei os alimentos de origem animal da dieta, descobri um mundo novo dentro do veganismo. Compartilhei um pouco dessa experiência em posts como o de transição, lugares veganos para conhecer em São Paulo, nas receitas da Segunda Sem Carne e a listinha de comidas comuns que, na verdade, são veganas e você não sabia. Dessa vez, quero mostrar as cinco coisas que NÃO são veganas e eu mal tinha ideia. Porque, gente, as formas de explorar os animais vão além do imaginável, sério. Não é só no açougue, não.

 

Como comentei por aqui algumas vezes, quero que o veganismo seja um processo leve e positivo. Eu faço o que está ao meu alcance, mas, às vezes, nem tudo está sob o meu controle. Sigo descobrindo o veganismo aos poucos e adaptando minha rotina para que o meu impacto seja cada vez menor. Eu sei que nenhuma vida nesse planeta merece sofrer por pura praticidade alheia e um minuto de prazer. Nenhuma vida me pertence.

 

Coisas que NÃO são veganas e você não sabia 🌱

 

Batata frita do Mc Donald’s

COISAS QUE NÃO SÃO VEGANAS - BATATA FRITA

Pois é. A história de que a batata frita do Mc Donald’s não é vegana é verdadeira. Então, se você for acompanhar seus amigos, precisa pedir a boa e velha salada, sem frango, obrigada. A não ser que você seja o vegano que não gosta de “financiar” marcas que estão envolvidas em imensa crueldade, aí está tudo bem, você e o Mc Donald’s não terão a menor das relações.

 

Se você ainda duvida, basta você entrar no site do Mc Donald’s gringo e conferir os ingredientes da batata frita. Tem carne (natural beef flavor) e leite (milk derivatives). O site brasileiro não divulga os ingredientes, mas por que eles seriam diferentes?

 

Também é bom perguntar se a sua batatinha é frita no óleo vegetal ou gordura animal, tá bom?

 

Comidas com corante vermelho

 

Aí entram doces, bolachas, refrigerantes, massas, vinagres e qualquer outro produto que tenha um tom rosado ou avermelhado. Não importa se na composição você não encontrar leite, ovos ou mel, ao se deparar com os nomes INS 120, E120, Corante Natural Carmim de Cochonilha ou Corante Natural Ácido Carmínico significa que há pequenos insetinhos nesse alimento.

 

Alimentos enriquecidos com vitamina D ou ômega-3

 

Se a marca não é vegana ou não estiver especificando vitamina D2 ou a origem desse nutriente, é melhor passar longe. Alguns cereais, sucos, leites de soja, bolachas e, principalmente, alimentos voltados para o público infantil são enriquecidos com algumas vitaminas de origem animal.

 

Lembre-se de sempre ler a lista de ingredientes com cuidado e, na dúvida, ligue para o SAC da empresa ou veja algumas das minhas dicas para saber se um produto é vegano ou não.

 

Cerveja e vinhos

COISAS QUE NÃO SÃO VEGANAS - CERVEJA E VINHO

Felizmente, eu não bebo cerveja e raramente encosto em um vinho, mas vale ressaltar que alguns tipos e marcas dessas bebidas têm ingredientes de origem animal. Parece estranho, eu sei, mas no processo de clarificação, usa-se, em alguns casos, a isinglass, uma substância obtida de bexigas secas de peixes. Eu disse que as formas de exploração não tem fim.

 

Para saber se a sua cervejinha ou vinho são veganos, confira esse vídeo bem legal do canal do Vista-se, assim como o site Barnivore que, a partir de troca de e-mails com as empresas, traz uma lista de bebidas vegan friendly.

 

Ah, usar a isinglass vale para qualquer bebida que passa pelo processo de clarificação.

 

Outro ponto a se levar em consideração é se a marca da sua cerveja (ou qualquer outra bebida) patrocina eventos de exploração animal, como, por exemplo, a Brahma que, apesar de não ter ingredientes de origem animal, tem o Circuito Brahma de Rodeio.

 

Gelatina (amendoim, doces, margarina)

 

Sim, todo mundo sabe (ou eu espero que saiba) que a gelatina é uma das coisas que não são veganas, pois vem dos ossos, cascos e outras partes dos animais. Acontece que a gelatina não é um ingrediente usado somente nas caixinhas que encontramos no mercado. Gelatina está em mais coisas do que eu imaginava, assim como leite em pó e clara de ovo – eita ingredientes que o povo gosta de enfiar onde não faz nem sentido.

 

Você pode encontrar gelatina em amendoins, margarinas feitas a partir de óleo vegetal, balinhas tipo fini, produtos light, marshmellow, barras de cereal e até doce clássicos, como de banana, batata doce ou abóbora. Certifique-se de que não há gelatina em pó, espessante de gelatina, gelatina hidrolizada ou outras variações nos ingredientes. Goma guar, goma xantana e goma acácia estão liberadas, ok?

 

Passar uns minutinhos a mais no mercado lendo a lista de ingredientes vale a pena diante de tanto sofrimento animal. Isso não é nada comparado a morte ou a vida curta de exploração a qual esses animais são submetidos.

 

Nós precisamos parar de pensar que as coisas surgem magicamente no mercado ou nas lojas e entender que por trás de cada embalagem ou produto à venda existe um processo de produção que, em muitos casos, é cruel e repleto de falhas. Não é só um bife. É um animal. Não é só gelatina hidrolisada. É uma parte de um boi que foi, praticamente, destrinchado para atender nossos caprichos.

 

Não vale a pena. Meu corpo é um jardim, não um cemitério 🌱❤

 

Ah, o açúcar refinado é vegano, sim! Olha só essa resposta da União.

 

Além dos alimentos, existem outros objetos comuns do nosso dia a dia que não são exatamente veganos. Vocês gostariam de um post assim? Conhecem outras coisas que não são veganas? Me contem nos comentários! 😊

 

Substituições veganas: fontes de proteína vegetal

Substituições veganas: alimentos vegetais fontes de cálcio

Substituições veganas: fontes de ferro vegetal!

Substituições veganas: como substituir o ovo?

 

❤ Outros posts que você pode gostar ❤

 

Doar sangue pela primeira vez, como funciona?

➳ O que eu comi hoje? (Vegano)

#BelezaVegana: marcas de maquiagem veganas (100%)

Famílias veganas para acompanhar

Sorvete vegano em uma nuvem de algodão doce

➳ Consumo consciente de acessórios + sorteio

 

Vem passear na categoria vida verde ou na tag alimentação vegana 🐷

Também estou aqui: 

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube

 

 

* indicates required



Você é vegano?

Quando eu cortei os alimentos de origem animal da dieta, descobri um mundo novo dentro do veganismo. Compartilhei um pouco dessa experiência em posts como o de transição, lugares veganos para conhecer em São Paulo, nas receitas da Segunda Sem Carne e a listinha de comidas comuns que, na verdade, são veganas e você não […]

Leia mais



TAGS:








NÃO PERCA AS NOVIDADES, CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER!