14 Fevereiro, 2018

Há um tempo, fiz um post com 10 verdades que ninguém te conta sobre o feminismo. Decidi, então, estender a ideia para o veganismo. Um assunto que, igualmente, é repleto de mitos. Algumas verdades, é claro, doem. Mas antes ter tudo esclarecido e com os devidos pingos nos is que ficar pregando o senso comum por puro comodismo e ignorância.

 

10 verdades sobre o veganismo 🌱

VERDADES SOBRE O VEGANISMO 2

1 ➳ O veganismo não é caro, ele é elitista. Comentei um pouco sobre isso em um post com o vídeo de compras veganas, mas se você quiser entender mais sobre o assunto recomendo fortemente o texto como é ser vegana e favelada.

 

Basicamente, precisamos entender que o veganismo está associado a privilégios sociais e o principal deles é o acesso à informação de qualidade. Agrião, beterraba, pepino e cenoura não são alimentos caros. Mas olhe ao seu redor: famosos vegetarianos, pratos à base de plantas com preços exorbitantes, instagrans de veganos hipsters, hambúrgueres industrializados vegetarianos pelo dobro do preço… Qual é a imagem que se tem do veganismo? É frescura, coisa de gente rica. O veganismo é vendido para elite, mesmo que não seja algo caro em si. 

 

2 ➳ E desse conceito pulamos para a verdade nº 2, nem toda vegana é saudável, magra, esbelta e malhada. É comum pensar que muitos veganos mudam seus hábitos pensando, principalmente, na saúde. E isso inclui acrescentar ao seu armário nutricional yeast, spirulina, maca peruana e outros suplementos verdes e, aparentemente, mágicos. Ah, e acordar às 5h da manhã para correr e fazer yoga. Pena que não é assim que funciona.

 

Tem muito vegano que só come carboidrato (haja batata!), fritura e industrializados. Não bebe nenhum copinho de água por dia e passa longe de salada crua. E nem venha me dizer que um pedaço de bife resolveria o problema, viu? Porque tem muito carnista por aí que acha que está abalando com um prato de arroz, feijão e carne, mas, na real, você está fazendo as escolhas erradas da mesma maneira.

 

Nem toda vegana vai à academia, faz poses de yoga na praia ou bebe suco verde todos os dias. Nem toda vegana é Yasmin Brunet.

 

3 ➳ Assim como nem todo vegana é saudável, se você é vegana apenas por saúde, deixa eu te contar um segredo: você não é vegana. Você só não come alimentos de origem animal, ou seja, é vegetariana estrita. Ponto.

 

O termo veganismo, em primeiro lugar, parte da preocupação com os animais. Depois, vem o meio ambiente, a saúde, o slow fashion, o pequeno empreendedor, o que você quiser. O abate de animais e seu sofrimento foram o ponto de partida para a criação da The Vegan Society, não a preocupação com o câncer. O veganismo está intrinsecamente ligado à causa animal.

VERDADES SOBRE O VEGANISMO

4 ➳ Não é porque você aderiu a essa filosofia de vida que você, automaticamente, passa a odiar queijo, picanha e doce de leite. O gosto das coisas não muda. O que muda é a sua visão sobre aquele alimento.

 

Poucos veganos não gostam de alimentos de origem animal. O veganismo é uma escolha. Você abre mão de convenções sociais por um bem maior. Infelizmente, isso não significa que o pudim ou o hod dog deixarão de ser gostosos, mas, sim, que um minuto de prazer na boca não valerá a pena diante de tanta morte e sofrimento. O fim, nesse caso, jamais justificará os meios.

 

Mas eu te garanto uma coisa: com o passar do tempo, você acaba esquecendo o gosto das coisas e se abre diante de tantos novos sabores.

 

CONTINUE LENDO ♥

VERDADES SOBRE O VEGANISMO 3

Há um tempo, fiz um post com 10 verdades que ninguém te conta sobre o feminismo. Decidi, então, estender a ideia para o veganismo. Um assunto que, igualmente, é repleto de mitos. Algumas verdades, é claro, doem. Mas antes ter tudo esclarecido e com os devidos pingos nos is que ficar pregando o senso comum […]

Leia mais



TAGS:






8 julho, 2016

Semana passada eu compartilhei os detalhes da minha transição para o vegetarianismo e, hoje, é dia de vídeo com dicas para quem deseja começar ou já está dando os primeiros passos. Pensando na minha experiência (e naquelas que esbarrei por aí), separei algumas maneiras que podem te ajudar a não desistir de trilhar esse caminho. Porque, convenhamos, não é fácil. Às vezes, não temos o apoio da família, muitas dúvidas, falta de inspiração… Por isso, reuni nesse vídeo maneiras de aumentar a sua força de vontade, para que todo dia você acorde pensando que vale a pena não comer carne ou nada de origem animal.

Vegetarianismo: dicas para começar e não desistir

Mas já adianto (spoiler do vídeo): você precisa querer. E muito. Porque as propagandas, os restaurantes, pessoas próximas, a internet, desconhecidos, boa parte das coisas ao seu redor não irá colaborar. Ao decidir cortar a carne, você está questionando o modo como a maioria das pessoas vive, quebrando um padrão. Ao invés de tapinhas nas costas, você receberá comentários desnecessários e olhares de desaprovação. Ninguém quer abrir os olhos e perceber como o próprio estilo de vida é insustentável. Sendo assim, você precisa sentir que essa é a escolha certa, que não há uma alternativa melhor e, dessa maneira, será mais fácil de lidar com as dificuldades.

 

No geral, as dicas soam até simples demais, mas elas, com certeza, facilitaram e fortaleceram os meus ideais nesse processo tão recompensador. Desde entender o seu corpo até encontrar canais com receitas vegetarianas, você precisa se jogar de cabeça nessa! Então, dá o play e vem descobrir o que me ajudou a começar e não desistir:

 

 

🐷 Documentários e vídeos 🐷

 

➳ A engrenagem

➳ Forks Over Knifes (tem post sobre ele aqui!)

➳ A Carne é Fraca

➳ Cowspiracy

➳ Food Matters (tem no Netflix!) 

➳ Terráquios (esse é bem pesado ok?)

 

🐮 Canais para colocar a mão na massa 🐮

 

➳ Ogros veganos (é um grupo no FB, mas vale!)

➳ Presunto vegetariano

➳ VegetariRANGO

➳ VegTube

➳ Clube Vegano

➳ Cozinha da Mari

➳ Divegana

➳ Canal Luísa Ferrari (adoro os vídeos de O Que Eu Comi Hoje)

➳ Rawvana

➳ FullyRaw Kristina

 

That’s it! Lembre-se sempre de escutar os sinais do seu corpo, buscar apoio em diferente lugares, evitar as tentações, se inspirar, cozinhar e fortalecer cada dia um pouquinho mais os seus motivos. Estamos juntxs nessa! ♥

 

💛 Quer ler mais sobre esse estilo de vida? Vem passear na categoria Vida Verde 💛

E vamos ser naturebas na redes sociais:

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube

Semana passada eu compartilhei os detalhes da minha transição para o vegetarianismo e, hoje, é dia de vídeo com dicas para quem deseja começar ou já está dando os primeiros passos. Pensando na minha experiência (e naquelas que esbarrei por aí), separei algumas maneiras que podem te ajudar a não desistir de trilhar esse caminho. […]

Leia mais



TAGS:






7 julho, 2016

Dei o play no Netflix e encontrei o clássico começo dos documentários sobre o assunto: doenças, remédios, obesidade, gordura, fast food. O que comemos está nos matando. Essa, talvez, é a primeira geração de crianças que viverá menos que os seus pais. Um conjunto de discursos e programas de televisão lembrando como a situação é alarmante. Qual é então a solução? Diminuir alimentos de origem animal, processados e aumentar os integrais e vegetais? Simples assim?

FORKS OVER KNIFES - RESENHA

É isso o que Forks Over Knifes, ou Troque a Faca Pelo Garfo, tenta responder, a partir da visão de especialistas, como o Dr. T. Colin e Dr. Caldwell Esselstyn. No fim, a conclusão é quase óbvia: sim, é simples assim. Uma alimentação vegana não só previne, como é capaz reverter muitas doenças. Os pacientes ao longo do documentário mostram como isso é possível. Chegou, então, a hora de abrir a sua geladeira e pensar: isso está me dando vida ou me aproximando do fim?

 

Esse é mais um dos documentários para a listinha de: balde de água fria que te faz questionar toda a sua alimentação. Até mesmo para mim que já sou vegetariana. Ao mesmo tempo que ele reforça minhas convicções, fica impossível não repensar alguns dos meus hábitos e querer cortar de vez os alimentos de origem animal. 

 

Ao invés de fazer uma resenha por aqui, decidi separar as principais ideias do Forks Over Knifes e agrupar nesse post. É claro, no documentário tudo é bem explicadinho, com dados, a fala dos profissionais e argumentos. Mas dá para pegar a mensagem com esses tópicos:

 

➳ Consumir alimentos de origem animal aumenta o colesterol e doenças cardiovasculares

 

Usando o histórico de pesquisa dos médicos que o documentário acompanha, estudos de laboratório e casos reais, Forks Over Knifes mostra como os alimentos de origem animal contribuíram para aumentar consideravelmente o número de doenças fatais.

FORKS OVER KNIFES - CÂNCER E CARNE

Para não deixar muito abstrato, um dos exemplos citados pelo Dr Esselstyn é caso da Noruega. Quando os alemães chegaram na país, em 1940, confiscaram todos os animais para abate ou produção de derivados com a intenção de usá-los para alimentar somente as tropas. Consequentemente, a população passou a ter uma dieta essencialmente baseada em verduras, legumes e frutas. O que aconteceu? O nível de doenças cardiovasculares caiu drasticamente. Mas com o fim do regime nazista e a volta dos produtos de origem animal, lá veio o derrame e os ataques do coração outra vez.

 

➳ Proteína animal é muita boa em causar câncer

 

CONTINUE LENDO ♥

Dei o play no Netflix e encontrei o clássico começo dos documentários sobre o assunto: doenças, remédios, obesidade, gordura, fast food. O que comemos está nos matando. Essa, talvez, é a primeira geração de crianças que viverá menos que os seus pais. Um conjunto de discursos e programas de televisão lembrando como a situação é […]

Leia mais



TAGS:








Veja o que acontece por aí