DESCOMPLICANDO O VEGANISMO
RECEITAS VEGANAS
Transição para o veganismo


6 janeiro, 2016

Penúltimo dia em terras argentinas e uma conclusão: Buenos Aires não é, definitivamente, um lugar para compras. Existem algumas lojas legais como a Falabella e a Como Quieres Que Te Quiera, mas os preços nem se comparam, por exemplo, com os de Orlando. Li em alguns sites que a Farmacity era um bom lugar para maquiagens. Fiz questão de entrar e me decepcionei. Se duvidar, os rímeis da Maybelline eram até mais caros. Há uma marca da própria farmácia, mas resolvi não arriscar. De qualquer maneira, como disse em posts anteriores, o interessante é procurar por coisas diferentes, pois produtos da Zara, Puma e Levi’s você encontra aqui no Brasil pelo mesmo valor. Vinhos, antiguidades, alfajor e lojas locais são a melhor opção para quem quer poupar dinheiro.

Rua em Buenos Aires

Passamos também no Galerías Pacífico, um lindo shopping com lojas bem conhecidas. Pelo seu tamanho e arquitetura imponente, torna-se impossível não o notar na rua. O seu interior também é belíssimo, com pinturas no teto, pilares grandiosos e uma estrutura toda baseada no estilo Beaux-Arts. Dentro dele, encontra-se o Centro Cultural Borges, no qual passei boa parte do tempo enquanto minha mãe passeava. As exposições são gratuitas e quem quiser entrar no clima argentino poderá assistir no local os famosos shows de tangos. No dia em que fui, estavam expostas fotografias lindíssimas sobre o Samuel Beckett, autor da peça Esperando Godot.

 

Além disso, a Rua Florida, apesar de grande, tem muitas lojas repetidas. A cada trinta passos você passa pela mesma vitrine que encontrou no início. Ela também é bem estreita e, aparentemente, é lotada todos os dias da semana. A cada dois minutos alguém grita “câmbio, câmbio”, “passeios, tango”, “brasileiros?”… Chato, chato, chato! Caso você seja como eu e meu pai e não esteja afim de entrar em todas as lojas, pare em um Mc Donald’s, eles têm wi-fi gratuito! 😉

Casa Rosada Buenos Aires

Voltamos para o hotel às 15h. Depois, eu e meu pai fomos conhecer a Casa Rosada e a Catedral Metropolitana de Buenos Aires em seguida. A sede da presidência estava em reforma, então não consegui chegar tão perto. Não a achei nada de mais, o que me encantou, de verdade, foi a Catedral. É como o Teatro Colón, é preciso ir para ver e crer. Lugar lindo! Apesar de não gostar de igrejas e não ter muita fé nesse tipo de crença, os detalhes da Catedral são de tirar o fôlego.

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

Catedral Metropolitana de Buenos Aires

Dá para perder mais de uma hora lá dentro, observando cada mínima coisinha. É um passeio que vale a pena, seja você uma pessoa religiosa ou não. A luz, a música, as cores, a arquitetura… É de arregalar os olhos, a boca e preencher a alma.

 

Depois, fomos andando até Puerto Madero em busca de um restaurante. Passamos por lá ao acaso, pois não sabíamos direito onde era o lugar que queríamos. De qualquer maneira, acabamos comendo no Mc, pois o restaurante era em frente ao porto e aparentava ser extremamente chique, ou seja, seria muito caro. Não ficamos muito tempo em Puerto Madero, mas deu para ter um gostinho do que é essa parte de Buenos Aires, bem desenvolvida, moderna e conhecida pelos lugares que acalentam o paladar.

Puerto Madero Buenos Aires

Após voltar para o hotel, passei o restante da tarde na Plaza Libertad com um bom livro ao meu lado (no caso era Misery, o qual vocês podem ler a resenha aqui). As praças em Buenos Aires são lindas, com monumentos, grama bem cuidada, flores e fontes. Totalmente diferente das que encontramos nos bairros de São Paulo – no meu bairro, em especial.

 

A minha experiência em Buenos Aires me deixou com um grande arrependimento: não ter pesquisado sobre o passado dos principais locais da cidade. Há muito história por trás de cada praça, rua, monumento e local turístico. Vivendo, viajando e aprendendo!

ultima_dia_buenos_aires
Café Tortoni Buenos Aires

Acordamos no dia 11 de dezembro sem um destino certo. Afinal, teríamos que estar no aeroporto por volta das 14h. Após a primeira refeição do dia, resolvemos visitar o Café Tortoni, conhecido pelos políticos e artistas que lá frequentavam. A fachada é simples, mas, ao mesmo tempo, encantadora pelos seus detalhes. Ao abrir a porta, você tem uma visão ampla das mesas, paredes e balcões ao redor do Café. Os lustres, as pinturas e os vitrais prendem a atenção logo nos primeiros passos, encantando aqueles que apreciam um estilo clássico. Buenos Aires é uma cidade desenvolvida, mas os seus pontos turísticos, em sua maioria, ganham destaque justamente pela presença marcante de detalhes e uma arquitetura característica de um passado elegante.

 

Pedimos umas bebidas diferentes e aproveitamos alguns minutos nesse local tradicional da cidade. Vale a pena esquecer o suco de laranja e o pão do hotel por um dia e ir ao Café Tortoni para tomar um cappuccino e pedir o seu famoso churros.

Menu Café Tortoni Buenos Aires

Então, enfim, chegamos ao Brasil. Voltamos para casa, encontramos os bichinhos e deixamos Buenos Aires para trás, nas fotos e na memória. Para quem quiser ler sobre os outros dias que ficamos por lá, aqui estão os posts:

 

➳ Primeiros dias em Buenos Aires
➳ Buenos Aires dia 3-4: shopping, ônibus turístico, Zoo e Jardim Japonês

 

Eu, sem dúvidas, voltaria com mais calma à cidade e aproveitaria todas as suas peculiaridades. Quem sabe, em breve, eu não esteja novamente me encantando com o Teatro Colón! E vocês, já conheciam a capital? Tem vontade de conhecer?

 

Esse post foi escrito logo após o fim da viagem, em 2014. Logo, os preços podem ter sofrido alterações. Lembrando que essa foi apenas a minha experiência e que, antes, eu não era vegetariana e nem mantinha as mesmas opiniões.

Penúltimo dia em terras argentinas e uma conclusão: Buenos Aires não é, definitivamente, um lugar para compras. Existem algumas lojas legais como a Falabella e a Como Quieres Que Te Quiera, mas os preços nem se comparam, por exemplo, com os de Orlando. Li em alguns sites que a Farmacity era um bom lugar para […]

Leia mais



TAGS:






4 janeiro, 2016

Fui para Orlando em dezembro do ano passado e filmei um pouquinho sobre como foi ser vegetariana em meio a tanto hambúrguer e bacon. Dividi o vídeo em três partes e nesse compartilhei sobre a viagem em si, nossos primeiros cafés da manhã, o primeiro jantar fora e dicas de guloseimas no Magic Kingdom. Dá o play e descobre se eu passei fome (ou não) por lá:

 

 

PREÇOS
Golden Corral: US$ 8.89
Ponderosa: suco de laranja – US$ 2.29/café da manhã US$ – 9.99
Abacaxi desidratado: US$ 1.68
Banana Chips: US$ 2.98
Snack com cenouras: US$ 2.25
Olive Garden: US$ 75 para três pessoas.

Fui para Orlando em dezembro do ano passado e filmei um pouquinho sobre como foi ser vegetariana em meio a tanto hambúrguer e bacon. Dividi o vídeo em três partes e nesse compartilhei sobre a viagem em si, nossos primeiros cafés da manhã, o primeiro jantar fora e dicas de guloseimas no Magic Kingdom. Dá […]

Leia mais



TAGS:






30 dezembro, 2015

No terceiro dia, acordamos bem cedo, tomamos café e fomos para um dos pontos próximos ao hotel do Buenos Aires Bus, um ônibus turístico que roda, praticamente, os principais lugares da cidade. Por ser verão, a placa da parada indicava que o primeiro horário seria às 11h50. No entanto, chegamos lá às 9h30. Para não ficar esperando mais de duas horas no mesmo lugar, deixamos o ônibus para o outro dia e partimos em direção ao Zoológico Lujan, na esperança de abraçar leões e beijar filhotes de leopardo.

Zoo em Buenos Aires

Ah, doce ilusão! Achei que Buenos Aires tivesse apenas um Zoo e acabamos indo no errado. Mas querem saber? Fico muito feliz por isso! Depois de ler sobre o assunto, não recomendaria o local a ninguém. Os animais não são eles mesmos e, com certeza, são extremamente infelizes. Se eu me senti mal ao ver um filhote em uma jaula inquieto, como poderia tirar uma foto com um leão dopado? A viagem foi há um ano e, hoje, eu me posiciono contra Zoológicos e não iria novamente. Em nenhum dos dois.

 

Fui há muito tempo no Zoológico de São Paulo e não lembro como as coisas funcionam por lá, mas com base em fotos e nos comentários da minha mãe, em Buenos Aires você fica bem mais perto dos animais e eles aparentam mais “livres”. Sei que isso é algo que criamos na nossa mente. Não há como uma zebra estar livre em um espaço com alguns metros quadrados, enquanto poderia ter a floresta inteira para si.

 

Por 130 pesos você compra um ticket de entrada e consegue conhecer todos os bichinhos e espaços em uma manhã. É um passeio bem legal, ainda mais quando um pavão resolve se exibir para o pessoal! Os pequenos (ou os grandes, por que não?) podem comprar uma comida específica e alimentar os bichinhos. Alguns você pode dar na mão mesmo, mas outros, como a lhama (♡) ou a zebra, devem ser por um canal de madeira.

Zoo em Buenos Aires

Depois de sairmos do Zoo, resolvemos ir no Shopping Alto Palermo para comer. Outra experiência triste com comida. Pedi um hambúrguer no Negro El 11, lugar diferente, parecia gostoso… Mas veio um pão enorme com um bife no meio (lembrando que eu não era vegetariana!). Cadê o hambúrguer? Cadê o molho? Tentei comer, mas quando encontrei uns nervos, desisti e fui para a fila do McDonald’s. Os meus pais pediram pratos melhores, mas eles deram garfos de plástico para cortar uma costela! Isso não se faz, não é gente?

 

Para melhorar o dia, passei em uma Freddo, obrigação para aqueles que forem para Argentina! Ainda não superou a Bacio di Latte, mas o sorvete de doce de leite, huuuum. Achei o de banana slip bem enjoativo, mas o de torta de limão também é delicioso! Andamos algum tempo pelo shopping e partimos para o próximo destino: Jardim Japonês.

 

Minha opinião? O Jardim é uma mistura de Liberdade com Parque do Ibirapuera, mas com um preço de 16 pesos para entrar. É um lugar calmo, tranquilo, com algumas exposições, um restaurante japonês, algumas barraquinhas com itens diferentes e até espaço para massagem e tratamentos orientais. Se você está conhecendo a cidade com pressa, passar 1 hora ou 2 por lá é o suficiente, mas caso você esteja em uma viagem longa, vale a pena perder mais um tempinho apreciando a natureza, alimentando os peixes e tirando fotos na ponte vermelha.

Jardim Japonês Buenos Aires

Voltamos para o hotel, descansamos um pouco e fomos jantar no Broccolino, um lindo restaurante italiano! Eu estava passando mal na hora que saímos, então optei por um prato leve, um frango grelhado com limão e alguns legumes. Uma pena não poder ter experimentado as massas do lugar. Felizmente, tive a chance de comer o sorvete de mascarpone com calda de frutas vermelhas, uma maravilha de sobremesa. Gente, eles não economizam na calda! São duas bolinhas grandes e brancas em um mar vermelho de amora, morango, mirtilo e framboesa. Atendimento excelente, lugar lindo e comida hiper gostosa, em pratos bem servidos!

dia 4 buenos aires
Resolvi juntar por aqui também o quarto dia, pois só o aproveitamos até às 15h, 16h. Drama, drama everywhere. Como disse acima, pegar o ônibus turístico estava em nossos planos desde o início e como sabíamos que o primeiro horário da parada perto do hotel era às 11h50, resolvemos tomar café e ir para o Shopping Patio Bullrich passar o tempo.

 

Visitei dois shoppings em Buenos Aires, o Bullrich e o Alto Palermo, e cheguei à conclusão de que ambos não são acessíveis. Conforme ia visitando as lojas na cidade argentina, ficou evidente que esse não é um local para compras – exceto artesanatos, pedraria e outros elementos característicos de sua cultura. Não se empolguem e façam listas de desejos, pois os preços são iguais aos do Brasil.

DSC06406

Shopping Patio Bullrich

Depois do passear um pouco pelo shopping e se apaixonar pela decoração de natal com lindas bailarinas, fomos em busca de uma parada do ônibus. Passamos pelo consulado francês e brasileiro em Buenos Aires e, após consultar o GPS algumas vezes, achamos o ponto perto de uma linda praça com flores amarelas. Com 260 pesos você compra uma passagem individual que vale por 24h. Com trânsito, uma volta completa dura, aproximadamente, umas 4 horas. Então quem quiser se aventurar nos pontos de parada, provavelmente, passará o dia inteiro indo e vindo.

 

Resolvemos dar uma volta inteira e depois escolher os lugares que desceríamos para conhecer. Infelizmente, não pudemos fazer isso. Então, aconselho a descer logo na primeira volta! É lindo conhecer a cidade do conforto do ônibus, escutando as histórias dos respectivos pontos, mas é ainda melhor aproveitar tudo de pertinho.

DSC06450

No total, são 25 paradas, as quais você pode conferir aqui. Vi alguns sites falando que a passagem custa apenas 25 pesos, mas não foi isso o que encontramos por lá. O bom do ônibus é que, durante o dia inteiro, você pode descer e pegá-lo novamente quando desejar para ir até o próximo destino. Queria muito ter desembarcado no Caminito e em Puerto Madero, mas, infelizmente, acabei conhecendo a maioria dos locais apenas de vista. Aconselho também a ficarem no andar de cima, a visão é bem melhor, além de ser “quase” ao ar livre.

 

Depois de voltarmos ao local onde pegamos o ônibus inicialmente, almocei no Mostaza, uma rede de fast-food que ainda não apareceu pelo Brasil. Resolvemos, então, dar outra volta no ônibus, mas, graças ao estresse e outras complicações, não descemos novamente em nenhum ponto. Foi somente para acalmar os nervos. Além disso, após aquele em que estávamos, somente outro ônibus passaria pelas paradas, então preferimos não arriscar.

 

➳ Primeiros dias em Buenos Aires

Esse post foi escrito logo após o fim da viagem, em 2014. Logo, os preços podem ter sofrido alterações. Lembrando que essa foi apenas a minha experiência e que, antes, eu não era vegetariana e nem mantinha as mesmas opiniões.

No terceiro dia, acordamos bem cedo, tomamos café e fomos para um dos pontos próximos ao hotel do Buenos Aires Bus, um ônibus turístico que roda, praticamente, os principais lugares da cidade. Por ser verão, a placa da parada indicava que o primeiro horário seria às 11h50. No entanto, chegamos lá às 9h30. Para não […]

Leia mais



TAGS:








NÃO PERCA AS NOVIDADES, CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER!