• Pinceis favoritos para pele da Macrilan – Corretivo, base, blush SLIDE
  • simple-responsive-slide-disney


2 março, 2017

Não sou uma pessoa do carnaval. Não gosto de multidões bêbadas, gritando e poluindo o ar, a rua, o mar com seus quilos de glitter. Até aprecio uma boa fantasia, mas longe de mim ser amassada, assediada e passar calor em bloquinhos em que mal consigo ouvir as músicas. Tudo isso para dizer que, na semana do carnaval, eu tento ao máximo me afastar das concentrações de folia. Como uma das minhas metas para 2017 é viajar o máximo que der, eu e minha namorada decidimos passar um dia em Campos do Jordão, nada a ver com carnaval, São Paulo, calor, bloquinhos, amém. E, sim, muito chocolate (que me frustrou, mas daqui a pouco explico o porquê), casas fofinhas e flores.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - ENTRADA

Nós fomos com a Alternativo, uma agência de viagem independente. Não pesquisei outras, porque uma das minhas amigas do técnico (já contei como é ser vegana cursando nutrição aqui!) foi na mesma mini viagem e adorou. Confiei na experiência dela e fechei para o dia 25 de fevereiro. O valor total foi 125 para cada, com ida e volta, passeios e almoço. Mas pelo que olhei por cima, os valores são todos parecidos nesses bate e volta para Campos.

 

Gostei muito da Alternativo, eles são super pontuais e atenciosos. Chegamos atrasados graças ao carnaval (pois é), mas o restante deu tudo certo. Eles combinaram de sair 6h30 da Barra Funda e 6h31 nós estávamos saindo. Teve sorteios no decorrer do dia, o Nathan, nosso guia, era ótimo, eles tentaram resolver os problemas que apareceram prontamente e não tiravam o sorriso do rosto. Ah, uma coisa  importante é que eu me senti bem segura no ônibus, algo que, normalmente, não acontece, já que tenho pavor de estrada. O motorista contratado, porém, era cuidadoso, não correu, não fez coisas loucas e eu consegui dormir 80% do caminho, de quase 3h30. Recomendo.

 

Manhã na Suíça Brasileira

 

Nossa primeira parada foi na Ducha de Prata, um dos pontos turísticos mais conhecidos. São algumas duchas artificiais no meio da natureza, com águas do represamento Ribeirão das Perdizes. Normalmente, se pode tomar um banho nas plataformas de madeira, mas no dia em que fomos essa parte estava em reforma, além do frio, vamos combinar. É um lugar bem gostoso para ouvir o barulhinho da água, sentir o cheiro da natureza e tirar uma fotos.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA 3 UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA 4 UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA 2 UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA

Dica: o banheiro do estacionamento é pago, enquanto um atrás das lojinhas é gratuito. Essas lojinhas também costumam ser mais caras que as do centro, pois isso espere um pouquinho antes de levar um souvenir para casa.

 

Subindo e descendo da Ducha de Prata, passamos pelo Alto das Mansões, bairros distantes e cheios de casas luxuosas. Tem casa de 10 milhões de reais, da Christiane Torloni com uma mini mansão para o cachorro e até do Bispo Edir Macedo. É lindo de ser, assustador de se pensar o quando algumas pessoas tem muito, mas muito dinheiro.

 

Também passamos pelos 3 hotéis que parecem castelos (fotinho ruim do ônibus em movimento + chuva). Tivemos a oportunidade de passar bem em frente ao que está abandonado e, gente, minha mente só conseguia pensar em como seria louco entrar para desbravar os cantinhos esquecidos tipo em um filme de terror. Estava chuviscando, então, foi o passeio certo para se fazer: dentro do ônibus, com informações bem legais do guia e observando com cuidado as fachadas lindas no melhor estilo europeu.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - HOTEIS CASTELOS ABANDONADO

Eu fiz poucos passeios na vida acompanhada de um guia turístico, mas naquele sábado percebi como faz diferença. Você vê a cidade com outros olhos. Não é só mais um hotel bonito abandonado, uma casa luxuosa com o nome de Amore Mio ou uma cidade bonitinha, tem uma história por trás daquelas paredes e ruas.

 

Antes do almoço, paramos na Spinassi para degustar cachaças, queijos e chocolates. Eu não bebo mais e não como nada de origem animal, ou seja, passei longe dessa parte. Só aproveitei para trazer uma geleia de maracujá com pimenta (deliciosa, postei sobre ela lá na stories instagram) para casa junto com uma cerveja de pinhão para o meu pai. Minha namorada experimentou umas trufas e disse que eram gostosas. O lugar estava abarrotado de gente, por isso, é um passeio que eu dispensaria. Tem toda a graça de ser artesanal, mas, não, obrigada.

 

E, olhem a decepção, não tinha um chocolatinho meio amargo ou com mais de 50% de cacau sem leite. Para que colocar leite em pó integral em tudo, minha gente? Desnecessário. Os únicos veganos eram na caixinha, feitos por empresas tipo a Chocolife, coisa que posso encontram em São Paulo bem mais barato tranquilamente.

 

Vegana na churrascaria, sim é possível

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - CHURRASCARIA

O almoço foi no restaurante Querença da Serra, com opção de rodízio e buffet. Graças aos deuses veganos, o que estava incluso era o buffet. Ver cannes passando no espeto me fazem chorar. Sério. Eu até conversei com o Everton para ver se poderia tirar a churrascaria do pacote e almoçar em outro lugar, mas ele disse que não seria possível. Então, perguntei para minha amiga se tinha o bom e velho arroz, feijão e alface. Ela me tranquilizou e, realmente, consegui comer muito bem. Tinha várias saladas, arroz, feijão, batata frita, polenta, couve, mix de legumes, enfim, coisas vegetais sem crueldade que fizeram meu estômago feliz. A entrada da churrascaria com bois e vacas de enfeite, porém, ai, que mal gosto.

 

Delicadeza, rua alemã e o coração turístico

 

Antes de termos um tempo livre na cidade, passamos na fábrica da Cacau Show. Com três andares, é a maior loja da empresa no Brasil. Fiquei triste outra vez que até o Fondue 70% tinha leite na composição, mas comprei um tabletinho de chocolate meio amargo que matou minha vontade de doce. São três andares: o da loja normal, do outlet com uma maquete inspirada em Campos do Jordão feita de chocolate e o subsolo que estava fechado, mas acredito ser uma espécie de restaurante/doceria

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - CACAU SHOW

O outlet para quem gosta de chocolate é uma maravilha. Trouxemos para casa seis caixas, cada uma com 12 Monte Bellos, por 20 reais, ou seja, 72 Monte Bello. Haja insulina! As minhas eu vou dividir com minhas amigas, meus primos e o resto deixar em casa para os meus pais, já que não como. Minha namorada vai comer tudo sozinha mesmo. Tinha uma caixinha com variações de chocolate amargo por 10 reais, mas preferi não levar porque chocolate 80% é demais para mim.

 

Depois, passamos as 2h30 que nos restaram passeando pela Vila Capivari. Passamos pela Praça cheia de flores lindas e pela rua conhecida como Baden Baden que tem cheiro de vinho quente e uma estrutura incrível, que nos remete a Alemanha com as pedras e madeira — e, para mim, um pouco do parque do Harry Potter, fazer o que, é muita saudade da Disney (se quiser ver todos os meus posts sobre esse lugar mágico, clica aqui).

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - TRILHOS

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - FLORES

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - CAPIVARI

Acho que o que mais me encantou foi passear um pouco pelas ruas paralelas ao centro mais agitado, com cada passo fazendo um barulho gostoso pelas folhas no chão. Ok, talvez o que mais tenha me encantado foi uma loja chamada empório La Gália, que coisa maravilhosa, que delicadeza! Tinha vários objetos de decoração de muito bom gosto, bem no estilo casinha de boneca que eu amo. Só não trouxe nada para casa por motivos de: $$$.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - ARTESANATO

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - LOJAS

Entramos na igreja para conhecer, demos umas voltas e paramos na doceria Miryam, porque frio para mim pede uma única coisa: café. E eu estava louca por um expresso. Lá foi o mais barato e o primeiro que apareceu depois de rodar a procura de um que tivesse algo a mais sem leite (uma canela, aroma que não custe um rim ou, quem sabe, baunilha). É bem gostoso parar em um desses lugares perto da praça e ficar observando a movimentação. Tem muita gente hype chique ou que parece ter saído diretamente de uma Mercedes Benz. De qualquer forma, é um lugar lindinho, bem diferente da bagunça de São Paulo.

 

Curiosidade: em Campos do Jordão não pode ter nenhum tipo de indústria que polua diretamente o ar, tornando sua qualidade impecável. Por isso, os chocolates artesanais, queijos, vinhos e as malhas fazem tanto sucesso.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - PRAÇA

Por fim, fomos para a Vila do Artesanato, que, como disse o guia, é o Brás de Campos do Jordão. Parecia uma feirinha da praia, só que na versão inglesa, com telhados triangulares, estandes de famílias e senhoras vendendo suas próprias produções e, claro, plaquinhas de madeira gravadas na hora. Não trouxemos nada para casa, mas, com certeza, saímos com o coração mais quentinho de Campos do Jordão.

 

Eu já tinha visitado Campos há alguns anos atrás, mas me lembrava muito pouco. É o tipo de viagem para se fazer em um fim de semana, quando você quiser se libertar um pouco da poluição, barulho e caos da cidade grande. Tem um clima bem do interior, com pessoas simpáticas, a natureza mais próxima e uma arquitetura de se apaixonar. E, apesar de ser um lugar caro e frio (coisas que não gosto muito), me fez questionar o que eu ainda estou fazendo em São Paulo, aiai. 

 

Vocês conhecem Campos do Jordão? Fizeram outros passeios por lá? Tem alguma outra cidadezinha próxima à São Paulo para ir em um bate e volta? Vamos conversar nos comentários! 💛

 

💛 Outros posts que você pode gostar 💛

 

Transição para o veganismo 

Tour pelo Whole Foods, o melhor mercado do mundo

Lugares em Orlando além dos parques

Primeiros dias em Buenos Aires

Um ano sem comprar roupas?

 

💛 Vem ler sobre viagens ou passear na categoria Lugares 💛

Também estou aqui:

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube


Não sou uma pessoa do carnaval. Não gosto de multidões bêbadas, gritando e poluindo o ar, a rua, o mar com seus quilos de glitter. Até aprecio uma boa fantasia, mas longe de mim ser amassada, assediada e passar calor em bloquinhos em que mal consigo ouvir as músicas. Tudo isso para dizer que, na semana do carnaval, eu tento ao máximo me afastar das concentrações de folia. Como uma das minhas metas para 2017 é viajar o máximo que der, eu e minha namorada decidimos passar um dia em Campos do Jordão, nada a ver com carnaval, São Paulo, calor, bloquinhos, amém. E, sim, muito chocolate (que me frustrou, mas daqui a pouco explico o porquê), casas fofinhas e flores.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - ENTRADA

Nós fomos com a Alternativo, uma agência de viagem independente. Não pesquisei outras, porque uma das minhas amigas do técnico (já contei como é ser vegana cursando nutrição aqui!) foi na mesma mini viagem e adorou. Confiei na experiência dela e fechei para o dia 25 de fevereiro. O valor total foi 125 para cada, com ida e volta, passeios e almoço. Mas pelo que olhei por cima, os valores são todos parecidos nesses bate e volta para Campos.

 

Gostei muito da Alternativo, eles são super pontuais e atenciosos. Chegamos atrasados graças ao carnaval (pois é), mas o restante deu tudo certo. Eles combinaram de sair 6h30 da Barra Funda e 6h31 nós estávamos saindo. Teve sorteios no decorrer do dia, o Nathan, nosso guia, era ótimo, eles tentaram resolver os problemas que apareceram prontamente e não tiravam o sorriso do rosto. Ah, uma coisa  importante é que eu me senti bem segura no ônibus, algo que, normalmente, não acontece, já que tenho pavor de estrada. O motorista contratado, porém, era cuidadoso, não correu, não fez coisas loucas e eu consegui dormir 80% do caminho, de quase 3h30. Recomendo.

 

Manhã na Suíça Brasileira

 

Nossa primeira parada foi na Ducha de Prata, um dos pontos turísticos mais conhecidos. São algumas duchas artificiais no meio da natureza, com águas do represamento Ribeirão das Perdizes. Normalmente, se pode tomar um banho nas plataformas de madeira, mas no dia em que fomos essa parte estava em reforma, além do frio, vamos combinar. É um lugar bem gostoso para ouvir o barulhinho da água, sentir o cheiro da natureza e tirar uma fotos.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA 3 UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA 4 UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA 2 UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - DUCHA DE PRATA

Dica: o banheiro do estacionamento é pago, enquanto um atrás das lojinhas é gratuito. Essas lojinhas também costumam ser mais caras que as do centro, pois isso espere um pouquinho antes de levar um souvenir para casa.

 

Subindo e descendo da Ducha de Prata, passamos pelo Alto das Mansões, bairros distantes e cheios de casas luxuosas. Tem casa de 10 milhões de reais, da Christiane Torloni com uma mini mansão para o cachorro e até do Bispo Edir Macedo. É lindo de ser, assustador de se pensar o quando algumas pessoas tem muito, mas muito dinheiro.

 

Também passamos pelos 3 hotéis que parecem castelos (fotinho ruim do ônibus em movimento + chuva). Tivemos a oportunidade de passar bem em frente ao que está abandonado e, gente, minha mente só conseguia pensar em como seria louco entrar para desbravar os cantinhos esquecidos tipo em um filme de terror. Estava chuviscando, então, foi o passeio certo para se fazer: dentro do ônibus, com informações bem legais do guia e observando com cuidado as fachadas lindas no melhor estilo europeu.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - HOTEIS CASTELOS ABANDONADO

Eu fiz poucos passeios na vida acompanhada de um guia turístico, mas naquele sábado percebi como faz diferença. Você vê a cidade com outros olhos. Não é só mais um hotel bonito abandonado, uma casa luxuosa com o nome de Amore Mio ou uma cidade bonitinha, tem uma história por trás daquelas paredes e ruas.

 

Antes do almoço, paramos na Spinassi para degustar cachaças, queijos e chocolates. Eu não bebo mais e não como nada de origem animal, ou seja, passei longe dessa parte. Só aproveitei para trazer uma geleia de maracujá com pimenta (deliciosa, postei sobre ela lá na stories instagram) para casa junto com uma cerveja de pinhão para o meu pai. Minha namorada experimentou umas trufas e disse que eram gostosas. O lugar estava abarrotado de gente, por isso, é um passeio que eu dispensaria. Tem toda a graça de ser artesanal, mas, não, obrigada.

 

E, olhem a decepção, não tinha um chocolatinho meio amargo ou com mais de 50% de cacau sem leite. Para que colocar leite em pó integral em tudo, minha gente? Desnecessário. Os únicos veganos eram na caixinha, feitos por empresas tipo a Chocolife, coisa que posso encontram em São Paulo bem mais barato tranquilamente.

 

Vegana na churrascaria, sim é possível

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - CHURRASCARIA

O almoço foi no restaurante Querença da Serra, com opção de rodízio e buffet. Graças aos deuses veganos, o que estava incluso era o buffet. Ver cannes passando no espeto me fazem chorar. Sério. Eu até conversei com o Everton para ver se poderia tirar a churrascaria do pacote e almoçar em outro lugar, mas ele disse que não seria possível. Então, perguntei para minha amiga se tinha o bom e velho arroz, feijão e alface. Ela me tranquilizou e, realmente, consegui comer muito bem. Tinha várias saladas, arroz, feijão, batata frita, polenta, couve, mix de legumes, enfim, coisas vegetais sem crueldade que fizeram meu estômago feliz. A entrada da churrascaria com bois e vacas de enfeite, porém, ai, que mal gosto.

 

Delicadeza, rua alemã e o coração turístico

 

Antes de termos um tempo livre na cidade, passamos na fábrica da Cacau Show. Com três andares, é a maior loja da empresa no Brasil. Fiquei triste outra vez que até o Fondue 70% tinha leite na composição, mas comprei um tabletinho de chocolate meio amargo que matou minha vontade de doce. São três andares: o da loja normal, do outlet com uma maquete inspirada em Campos do Jordão feita de chocolate e o subsolo que estava fechado, mas acredito ser uma espécie de restaurante/doceria

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - CACAU SHOW

O outlet para quem gosta de chocolate é uma maravilha. Trouxemos para casa seis caixas, cada uma com 12 Monte Bellos, por 20 reais, ou seja, 72 Monte Bello. Haja insulina! As minhas eu vou dividir com minhas amigas, meus primos e o resto deixar em casa para os meus pais, já que não como. Minha namorada vai comer tudo sozinha mesmo. Tinha uma caixinha com variações de chocolate amargo por 10 reais, mas preferi não levar porque chocolate 80% é demais para mim.

 

Depois, passamos as 2h30 que nos restaram passeando pela Vila Capivari. Passamos pela Praça cheia de flores lindas e pela rua conhecida como Baden Baden que tem cheiro de vinho quente e uma estrutura incrível, que nos remete a Alemanha com as pedras e madeira — e, para mim, um pouco do parque do Harry Potter, fazer o que, é muita saudade da Disney (se quiser ver todos os meus posts sobre esse lugar mágico, clica aqui).

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - TRILHOS

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - FLORES

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - CAPIVARI

Acho que o que mais me encantou foi passear um pouco pelas ruas paralelas ao centro mais agitado, com cada passo fazendo um barulho gostoso pelas folhas no chão. Ok, talvez o que mais tenha me encantado foi uma loja chamada empório La Gália, que coisa maravilhosa, que delicadeza! Tinha vários objetos de decoração de muito bom gosto, bem no estilo casinha de boneca que eu amo. Só não trouxe nada para casa por motivos de: $$$.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - ARTESANATO

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - LOJAS

Entramos na igreja para conhecer, demos umas voltas e paramos na doceria Miryam, porque frio para mim pede uma única coisa: café. E eu estava louca por um expresso. Lá foi o mais barato e o primeiro que apareceu depois de rodar a procura de um que tivesse algo a mais sem leite (uma canela, aroma que não custe um rim ou, quem sabe, baunilha). É bem gostoso parar em um desses lugares perto da praça e ficar observando a movimentação. Tem muita gente hype chique ou que parece ter saído diretamente de uma Mercedes Benz. De qualquer forma, é um lugar lindinho, bem diferente da bagunça de São Paulo.

 

Curiosidade: em Campos do Jordão não pode ter nenhum tipo de indústria que polua diretamente o ar, tornando sua qualidade impecável. Por isso, os chocolates artesanais, queijos, vinhos e as malhas fazem tanto sucesso.

UM DIA EM CAMPOS DO JORDÃO - PRAÇA

Por fim, fomos para a Vila do Artesanato, que, como disse o guia, é o Brás de Campos do Jordão. Parecia uma feirinha da praia, só que na versão inglesa, com telhados triangulares, estandes de famílias e senhoras vendendo suas próprias produções e, claro, plaquinhas de madeira gravadas na hora. Não trouxemos nada para casa, mas, com certeza, saímos com o coração mais quentinho de Campos do Jordão.

 

Eu já tinha visitado Campos há alguns anos atrás, mas me lembrava muito pouco. É o tipo de viagem para se fazer em um fim de semana, quando você quiser se libertar um pouco da poluição, barulho e caos da cidade grande. Tem um clima bem do interior, com pessoas simpáticas, a natureza mais próxima e uma arquitetura de se apaixonar. E, apesar de ser um lugar caro e frio (coisas que não gosto muito), me fez questionar o que eu ainda estou fazendo em São Paulo, aiai. 

 

Vocês conhecem Campos do Jordão? Fizeram outros passeios por lá? Tem alguma outra cidadezinha próxima à São Paulo para ir em um bate e volta? Vamos conversar nos comentários! 💛

 

💛 Outros posts que você pode gostar 💛

 

Transição para o veganismo 

Tour pelo Whole Foods, o melhor mercado do mundo

Lugares em Orlando além dos parques

Primeiros dias em Buenos Aires

Um ano sem comprar roupas?

 

💛 Vem ler sobre viagens ou passear na categoria Lugares 💛

Também estou aqui:

Instagram l Facebook l Twitter l Pinterest l Youtube


TAGS:




Nenhum comentário em “Um dia em Campos do Jordão”


Deixe seu comentário:



Veja o que acontece por aí